Renault apresenta o carro-conceito Alpine A 110-50 para celebrar 50 anos

O modelo Renault Alpine A 110 está comemorando 50 anos. E para celebrar esta data, a Renault batizou seu novo carro-conceito de Renault Alpine A 110-50, dedicado à performance e ao prazer de dirigir. “O desenvolvimento do carro conceito Renault Alpine A 110 50 representou uma bela aventura. Ele foi um acelerador de criatividade. Fomos guiados pela paixão e a emoção”, explica Axel Breun, Diretor de carros-conceito e show cars da Renault Design.
O carro-conceito “Renault Alpine A 110-50” traduz os elementos estilísticos mais emblemáticos do modelo Alpine A 110, de forma marcante e atual com:
O desenho esculpido de uma carroceria elegante e fluida, valorizada por jogos de luz sobre a qual o ar parece deslizar livremente.
Os faróis adicionais “arredondados” em semicírculo, dão ao carro-conceito uma reinterpretação técnica e nostálgica, graças a uma iluminação full-LED na cor amarela.
Um vidro traseiro tridimensional diferenciado, que deixa visível o motor centralizado na parte traseira.
Uma entrada de ar em cada flanco que remete à aba dos para-lamas traseiros do Alpine A 110. A da direita assegura o resfriamento da caixa de câmbio e, a de esquerda, o do compartimento do motor.
Produzida pela Faster, a carroceria de carbono exibe uma nova cor azul, que reinterpreta e atualiza o “Azul Alpine”. Cada porta dispõe de uma mecânica de abertura digna dos modelos do tipo G.T. e imitam o movimento de uma tesoura. O capô dianteiro se abre para frente, enquanto a tampa traseira para trás.
“O carro tem linhas extremamente esculturais assim como o modelo Alpine A 110, ao mesmo tempo em que transmite as três palavras-chave do nosso novo design: simples, sensual, acolhedor”, explica Axel Breun, Diretor de carros-conceito e show cars da Renault Design.
Interior – Ao acessar habitáculo do carro-conceito Renault Alpine A 110 50, o olhar é atraído pela soleira de carbono.   Tudo no interior deste biposto, onde a cor preta é dominante, transmite a qualidade da fabricação e a esportividade:
O banco do motorista, bordado com o logo Renault Alpine A 110-50”e equipado com cintos de segurança Sabelt, apresenta várias nuances de azul, produzindo um agradável efeito visual.
O painel é despojado. Desenhado pela Renault Design, o volante com monitor colorido, com tecnologia idêntica aos dos bólidos da categoria Fórmula Renault 3.5, e fornece o máximo de informações ao piloto.
O equipamento do piloto exibe a marca Sabelt para o macacão e Ruby para o capacete.
Aerodinâmica – A eficiência do carro-conceito Renault Alpine A 110-50 é em grande parte gerada pelo efeito solo. Na parte dianteira, um splitter dissimulado no parachoque produz uma depressão e, portanto, um importante apoio aerodinâmico. Na parte traseira, um difusor acelera o fluxo de ar sob o fundo plano. Mais de um terço do apoio é produzido pelo efeito solo. O efeito é completado por um aerofólio traseiro regulável.
Aderência ao solo – A distância entre eixos do “Renault Alpine A 110-50” é idêntica à do Mégane Trophy, com 2.625 mm; já as bitolas são ligeiramente maiores: 1.680 mm na frente e 1.690 mm na traseira. As rodas de 21’’, fixadas ao conjunto por uma rosca central, são específicas e montadas com pneus Michelin, homologados para a estrada.
Os amortecedores Sachs são reguláveis e diretamente montados nos triângulos inferiores. Várias possibilidades de regulagens independentes foram previstas, como, por exemplo: ângulo de caster, cambagem, paralelismo e altura da carroceria.
Para privilegiar a condução esportiva e as sensações que ela proporciona ao piloto, a equipe da Renault optou por não equipar o carro-conceito “Renault Alpine A 110-50” com sistemas de auxílio à condução, tais como: ABS e sistema antipatinagem.
Frenagem a toda prova – Superdimensionado, o potencial de frenagem do carro-conceito “Renault Alpine A 110-50” está alinhado com a sua performance. Na parte da frente, imponentes discos ventilados de aço de 356 mm de diâmetro trabalham em conjunto com pinças de freio de seis pistões. Na parte traseira, o diâmetro dos discos é de 330 mm, enquanto as pinças de freios contam com quatro pistões.
Câmbio semelhante aos dos carros de F1 – O carro-conceito Renault Alpine A 110-50 recebeu uma caixa de câmbio sequencial semiautomática com seis marchas, assim como uma embreagem de dois discos, que pode ser comandada por meio do pedal de embreagem ou por borboletas instaladas atrás do volante.
Esta caixa de câmbio é disposta longitudinalmente atrás do motor e integra um diferencial autoblocante de deslizamento limitado (discos e tubulação) cuja pré-carga é regulável.
A embreagem de dois discos, do tipo Cerametallic, também é específica. Ela é acionada automaticamente e assegura uma troca de marchas rápida e uma excelente confiabilidade.
O projeto e o desenvolvimento destes fluxos de ar são baseados na utilização da Fluidodinâmica Computacional, uma tecnologia de ponta utilizada principalmente na Fórmula 1. A C.F.D. (do inglês Computational Fluid Dynamics) consiste em estudar os movimentos de um fluido, ou os seus efeitos, através da resolução digital das equações que regem o fluido. Esta técnica foi utilizada pela Renault Sport Technologies para afinar a aerodinâmica e estudar as reações do Novo Mégane Trophy em função do fluxo de ar.
Mais notícias