Genebra: o que fazer na cidade Suíça

Genebra é uma das cidades mais conhecidas e visitadas da Suíça. Famosa por seus ares cosmopolitas, a cidade é conhecida como capital da paz e centro diplomático do mundo, sendo a sede de inúmeras reuniões que buscam a resolução de conflitos geopolíticos. Além desses rótulos, Genebra também oferece aos seus visitantes ruas e monumentos repletos de história e um cenário extremamente multicultural – 43% dos 185 mil habitantes de Genebra são estrangeiros. Suas ruas, portanto, possuem um panorama cultural e gastronômico variado, o que confere um charme ainda maior à cidade suíça. Abaixo, listamos alguns dos principais passeios e pontos turísticos de Genebra.

Passear pelo Centro Histórico de Genebra (Vieille-Ville)

Um dos locais mais visitados da cidade de Genebra é seu centro histórico. Isso, inclusive, faz com que muitos turistas decidam buscar por acomodações no próprio centro ou em suas proximidades. Para os apaixonados por jogos, os hotéis cassino existentes na cidade se tornam uma ótima opção, podendo tornar sua viagem ainda mais excitante. Enquanto se prepara para viajar, inclusive, é possível já testar sua sorte nos cassinos online brasileiros, especialmente nos que já foram avaliados no cassinos.info, que é especializado no tema.

Sobre o Centro Histórico, é impossível não se maravilhar ao caminhar pelas belíssimas ruas da cidade, avistando seus prédios e monumentos. Foi em uma dessas ruelas que nasceu, em 1712, o filósofo Jean-Jacques Rousseau, famoso pela teoria de que “o homem é bom por natureza, mas está submetido à influência corruptora da sociedade”.

Catedral de São Pedro (Cathédrale Saint-Pierre)

Dentre os principais atrativos do Centro Histórico de Genebra está a Catedral de São Pedro, onde estão guardados tesouros que datam da Pré-História à Idade Média. A catedral foi construída durante o século VII e, mais tarde, tornou-se um verdadeiro marco da Reforma Protestante, responsável por dividir a Igreja Católica. Sua arquitetura é formada por uma mistura dos estilos românico, gótico e neoclássico. Os visitantes podem, ainda, subir os 157 degraus que levam até o topo da Torre da Catedral e vislumbrar uma vista de panorâmica da cidade que é de tirar o fôlego.

Capela de Macchabées (Chapelle des Macchabées)

Outra atração da Catedral de São Pedro é a Capela de Macchabées. Construída entre 1400 e 1405 por ordem do Cardeal Jean de Brogny a fim de que lá fosse abrigada sua própria sepultura, a Capela está localizada no canto direito de quem entra da Catedral. Após uma restauração realizada no final do século XIX, e capela foi restaurada e adquiriu uma arquitetura em estilo gótico belíssima e fascinante.

Sítio Arqueológico da Catedral de São Pedro

O subsolo da Catedral de São Pedro também guarda surpresas para seus visitantes. É lá que está localizado o Sítio Arqueológico da Catedral de São Pedro, onde é possível observar vestígios de construções anteriores que haviam no local, que vão desde a primeira versão da Catedral até as fundações de um antigo templo romano. O museu possui, também, uma exposição sobre a história de Genebra.

Muro dos Reformadores (Mur des Réformateurs)

O Muro dos Reformadores está localizado no Parc des Bastions. O monumento de 5 metros de altura foi construído em 1909, ano em que foi celebrado os 350 anos de fundação da Academia de Genebra e os 400 anos do nascimento de Calvino Lutero – principal nome da Reforma Protestante e que, com suas críticas, foi capaz de desencadear mudanças profundas na visão do mundo acerca da Igreja. O muro possui estátuas gigantes em baixo relevo dos protagonistas da Reforma Protestante: Guillaume Farel, João Calvino, Theodore Beza e John Knox. Entalhado em sua parte inferior, está o lema de Genebra: “Post Tenebras Lux” (Depois da escuridão, luz).

Foto: Divulgação

Lago Léman (Lac Léman)

Se deliciar com a vista do Lago Léman – ou Lago de Genebra, como é mais conhecido – é outra obrigação de qualquer um que visite Genebra. O maior lago de água doce da Europa Ocidental é compartilhado com a França, país vizinho da Suíça, que possui 40% de sua área. O local é visitado por turistas e moradores locais que, especialmente durante o verão, aproveitam o lago para velejar, nadar ou simplesmente relaxar apreciando a vista. A paisagem já atraiu inúmeras celebridades, como Charles Chaplin, Freddy Mercury e David Bowie, que adquiriram propriedades às suas margens.

Mais notícias