Pacientes com diabete são casos mais graves em infecções com coronavírus

Os maiores alvos de quadros graves do novo coronavírus no Brasil até agora foram pessoas com diabete ou problema cardíaco, segundo o Ministério da Saúde. Foram registradas 77 mortes e 2 915 infectados em todo o País. A letalidade verificada está em 2,7%.

Ao analisar o quadro dos hospitalizados (391 casos) e dos que morreram (59, no momento dessa avaliação), o governo observou que 124 dos pacientes sofrem de cardiopatia. Cerca de 80 delas têm diabete. Entre os óbitos, mais de 30 tinham problemas do coração e quase 20 eram diabéticos.

A idade avançada se mostrou mais uma vez como fator de risco para complicações pela doença. Dos 391 internados, 78 tinham entre 60 e 69 anos e outras 70 pessoas, de 70 a 79 anos. Há alto registro, porém, de hospitalizados entre 30 e 49 anos (103 pacientes). A análise do perfil dos mortos, no entanto, mostra concentração entre idosos. Entre os 59 casos avaliados até o dia 26 de março, 48 eram maiores de 70 anos.

“Os dados mostram que as maiores vítimas são idosos, mas também qualquer pessoa que tenha cardiopatia ou ”, disse o secretário de Vigilância do Ministério da Saúde, Wanderson Oliveira.

São Paulo. Estado com o maior número de casos e óbitos confirmados até agora (1.052 infecções e 58 óbitos), São Paulo tem infectados em sua maioria jovens, mas as mortes são concentradas nos idosos.

De acordo com o boletim do Centro de Vigilância Epidemiológica da Secretaria Estadual da Saúde, 61% do total de casos confirmados até o dia 24 (último dado detalhado disponível) tinha menos de 40 anos e a maioria (56%) era homem.

Já quando analisado o perfil dos mortos, o documento mostra que 92% das vítimas tinham mais de 60 anos e a maioria (67,5%) era homem.

Pacientes com diabete são casos mais graves em infecções com coronavírus
Mais notícias