Publicidade

Ministério da Saúde lança campanha de combate ao HIV focada em público masculino

'Homens camisinha' estarão nos blocos

Com o slogan “Pare, pense e use camisinha”, o Ministério da Saúde lançou nesta sexta-feira (22) a campanha de combate ao avanço do HIV, com foco nos homens de 15 a 34 anos.

De acordo com os dados da pasta, 73% das novas infecções pelo vírus no país foram registradas em pessoas do sexo masculino, e desse total, 75% são homens de 15 a 39 anos.

Ainda segundo as informações, durante o carnaval deste ano, os blocos contarão com a presença de ‘homens-camisinha’, que estarão circulando entre os foliões para destacar a importância do uso do preservativo.

Conforme a Agência Brasil, serão distribuídas 129 milhões de unidades de camisinha, sendo 12 milhões com nova embalagem, que faz alusão a equipamentos eletrônicos, de uso comum entre os jovens. Ações de prevenção serão realizadas em Salvador, Recife, Olinda e no Rio de Janeiro.

“Não importa a orientação sexual. É o comportamento de risco que pode, muitas vezes, fazer do nosso maior e melhor carnaval uma memória triste”, avaliou o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta.

O embaixador da campanha é o cantor Gabriel Diniz, intérprete da música Jenifer, que promete ser o hit dos blocos carnavalescos no Brasil. As peças publicitárias, segundo o governo federal, serão veiculadas na TV, na internet, no rádio, em veículos impressos, aeroportos e outdoors até 5 de março.

“Tenho certeza que a Jenifer pode até fazer umas paradas, mas a Jenifer pede sempre para usar a camisinha”, brincou o ministro, ao citar trechos da música.

Números

No Brasil, atualmente, 866 mil pessoas vivem com o vírus HIV, 694 mil já diagnosticadas e 172 mil não sabem que são soropositivas. Um a cada cinco casos de infecção é registrado entre homens de 15 a 24 anos.

De acordo com o Ministério da Saúde, o uso da camisinha nessa faixa etária, vem caindo. Em 2004, o índice era de 58,4% entre os que têm parceiros eventuais e, em 2013, passou para 56,6%. Já entre os que têm parceiros fixos, a queda foi ainda maior – de 38,8% em 2004 para 34,2% em 2013.

Jovens de 15 a 24 anos também são os que menos se tratam após o diagnóstico. Os números mostram que 44% dos 22 mil brasileiros diagnosticados com HIV nessa faixa etária não estão em tratamento antirretroviral.

Mais notícias