Paraná lança primeira campanha do país de vacinação contra dengue

A meta é de imunizar pelo meno 80% do público-alvo

O estado do Paraná lançou hoje (26) campanha de vacinação contra a dengue, a primeira na rede pública do país. A imunização alcançará os 30 municípios do estado com maior circulação da doença.

A campanha começa em um sábado, 13 de agosto, também considerado Dia D da campanha, quando os postos de saúde das cidades contempladas ficarão abertos durante o dia. A vacinação segue por três semanas, até 31 de agosto, nas unidades básicas de Saúde dos municípios escolhidos. A meta do governo é imunizar pelo meno 80% do público-alvo.

A vacina tem três doses, que devem ser tomadas a cada seis meses. O público-alvo de 28 municípios incluirá pessoas entre 15 e 27 anos, faixa etária de 30% dos casos de dengue no Paraná. Em Paranaguá, no litoral, e em Assaí, na região norte, a faixa etária do público-alvo será dos 9 aos 44 anos, porque ambas as cidades têm incidência considerada muito elevada.

Anvisa

A fabricante da vacina, a francesa Sanofi Pasteur, garante que o produto tem eficácia de 60,8% contra os quatro sorotipos da doença, taxa de redução de hospitalização de 80,3% e diminuição de 95,5% de casos graves da dengue.

Desde ontem (25), quando foi divulgado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) que a fabricante Sanofi Pasteur vai cobrar até R$138,53 pelo produto, a vacina pode ser comercializada no Brasil. O governo do Paraná promete investir R$ 50 milhões na compra de 500 mil doses para a primeira fase da campanha.

Os casos de dengue no estado subiram de 41 mil, nos seis primeiros meses de 2015, para 71 mil no mesmo período de 2016.

Para o vice-presidente da Sociedade Brasileira de Imunologia, Renato Kfouri, a população ganha ao ser imunizada contra o vírus. Porém, o infectologista questionou se, como ação de saúde pública, a campanha será mesmo eficaz.

Estratégia

“Quando a campanha é nacional dá uma cerca credibilidade e segurança de que terá continuidade. No entanto, uma estratégia isolada fica muito à mercê das gestões locais, dos interesses econômicos e políticos. Não tem muita segurança”, acrescentou.

Kfouri informou que escolher municípios que tiveram alto índice da doença é a melhor opção, já que nesses locais muita gente já está imune ao vírus porque já teve a doença.

O especialista afirmou que a escolha da estratégia de vacinação é muito complexa, pois é preciso determinar quais faixas etárias devem ser imunizadas para que haja impacto positivo e relevante na incidência da doença. Por isso, Kfouri considerou adequada a opção do Ministério da Saúde de não adotar imediatamente na rede pública nacional a vacina contra a dengue.

 

As cidades que terão campanha são:

 

São Sebastião da Amoreira

Leópolis

Paranaguá

Cambará

Foz do Iguaçu

Santa Terezinha de Itaipu

Maripá

São Miguel do Iguaçu

Boa vista da Aparecida

Tapira

Santa Isabel do Ivaí

Itambaracá

Cruzeiro do Sul

Santa Fé

Munhoz de Melo

Marialva

Paiçandu

São Jorge do Ivaí

Maringá

Mandaguari

Sarandi

Iguaraçu

Assaí

Ibiporã

Jataizinho

Porecatu

Bela Vista do Paraís

Cambé

Londrina

Sertanópolis

 

 

 

 

Mais notícias