Obra de R$ 2,4 milhões deve dobrar capacidade de coleta no Hemosul

O número de cadeiras subiu de 6 para 16

Com a reforma que custou R$ 2,4 milhões o número de coletas realizadas diariamente, durante o funcionamento normal do Hemosul, deve aumentar de 100 para 200 e diminuir pela metade o tempo de atendimento de cada doador.

Durante a inauguração da reforma, realizada nesta segunda-feira (29), o secretário de Estado de Saúde, Antônio Lastória, disse que com a ampliação, o número de cadeiras subiu de 6 para 16. “O espaço está mais amplo e o objetivo era a ampliação e reforma do prédio que foi construído há 26 anos e não comportava mais a demanda elétrica e hidráulica exigida pelos equipamentos utilizados”, afirmou.

Segundo a coordenadora geral da Hemorrede/MS (Rede de Hematologia e Hemoterapia de Mato Grosso do Sul), Eliana Dalla Nora, o tempo de atendimento será reduzido pela metade. “Antes eram necessário 40 minutos e vamos conseguir fazer tudo em 20 minutos”, destacou.

Eliana disse que com o aumento de capacidade de coleta será possível atender a demanda por bolsa de sangue no Estado. “Sempre estivemos no limite da margem de segurança. Acreditamos que agora vamos conseguir atender melhor a demanda”, declarou.

A reforma do prédio durou nove meses. Durante este período o número de coletas no Estado diminuiu de seis mil por mês para 4.500 e foi necessário o apoio de um ônibus de coleta para reduzir de 30% para 18% o déficit do estoque.

O reforma foi inaugurada nesta segunda-feira (29), no entanto, serão necessários cerca de 45 dias para que todos os serviços sejam retomados.

 

Obra de R$ 2,4 milhões deve dobrar capacidade de coleta no Hemosul
Mais notícias