Publieditorial

Mulheres, abuso de substâncias químicas e traumas

Infelizmente, o uso de drogas faz parte do mundo moderno. Enraizado em todas as classes sociais, o abuso de substâncias químicas têm destruído várias pessoas ao longo dos anos.  Apesar de existirem grandes mobilizações para o tratamento dos homens, as mulheres ainda não possuem tantos recursos à sua disposição.   Além disso, elas têm um grande receio de falarem sobre seus vícios...

Produção Publicado em 24/02/2021, às 12h54 - Atualizado às 13h37

None
Mulheres, abuso de substâncias químicas e traumas
Foto Ilustrativa

Infelizmente, o uso de drogas faz parte do mundo moderno. Enraizado em todas as classes sociais, o abuso de substâncias químicas têm destruído várias pessoas ao longo dos anos. Apesar de existirem grandes mobilizações para o tratamento dos homens, as mulheres ainda não possuem tantos recursos à sua disposição. 

Além disso, elas têm um grande receio de falarem sobre seus vícios, pois têm medo de serem julgadas ou estigmatizadas.

Se você conhece alguma mulher que tenha problemas com adicto ou adicção, termo utilizado para dependente químico e pretende ajudá-la, este texto pode ser útil. Leia este artigo e saiba um pouco mais sobre as mulheres e a dependência química. 

Traumas e vícios

Muitas mulheres recorrem às drogas devido aos traumas que tiveram. Ou seja, elas utilizam o vício para “esquecer” dos problemas que elas vivem. 

Por conta disso, é importante mostrar para a mulher viciada que ainda há esperança.Ao contrário dos homens, que, normalmente, têm o apoio da família durante a reabilitação, as mulheres costumam ficar sozinhas nesse processo. 

Como foi dito anteriormente, muitas mulheres recorrem aos vícios por conta de traumas e abusos. Por exemplo, segundo os dados do artigo “Alcoolismo feminino: um estudo de suas peculiaridades”, 70% das mulheres alcoólatrassofrem violência física ou sexual na infância ou na adolescência. 

Além disso, 80% dessas mulheres passaram por isso durante seus relacionamentos amorosos.Isso tudo só piora a situação das mulheres viciadas, pois, além dos problemas com os vícios, elas ainda têm que lidar com o estigma social e com as feridas da alma. 

Internação e grupos de apoio

Se você realmente quer ajudar uma mulher a sair do vício, o primeiro passo é não fazer julgamentos. Por mais que algumas pessoas se recusem a largar os vícios, muitas delas realmente querem uma nova vida.

Centros ou grupos como narcóticos anônimos e AA para a mulher podem ser uma boa opção para apoio quando o problema é o alcoolismo. Uma clínica de recuperação feminina também pode ser uma boa opção para internação.

Benefícios da reabilitação

Encontrar boas clínicas de reabilitaçãopode trazer vários benefícios para as pacientes. Por conta disso, as mulheres atendidas conseguem alcançar e sustentar sua sobriedade em longo prazo. A reabilitação feminina aborda os seguintes pontos:

  • Temas centrais como sexo, traumas e apego ao vício;
  • Incentivo a integridade, autoconfiança e graça;
  • Desenvolvimento de um senso renovado de autorrespeito e independência;
  • Mostrar para a pessoa que ela deve assumir seus erros;
  • Reconstrução das relações familiares;
  • Inserção da mulher em uma comunidade vibrante.

Para que o tratamento funcione, é importante que o dependente coloque toda a sua energia na reabilitação. 

Com isso, haverá efeitos positivos tanto na saúde emocional quanto na parte física. Quanto mais a mulher se dedicar ao tratamento, maior a chance dela alcançar a sobriedade.

Jornal Midiamax