Publicidade

Turmas do Novo Ensino Médio serão formadas até 2022

Informação foi dada pelo MEC durante a homologação da BNCC

As turmas do Novo Ensino Médio serão formadas até 2022, segundo o Ministério da Educação (MEC). A informação foi dada durante a homologação da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) do Ensino Médio, que prevê a estruturação dos currículos até o final do primeiro semestre do ano que vem e a aplicação da reforma, da respectiva etapa, a partir de 2020. O documento prevê o ensino de quatro áreas do conhecimento: linguagens, matemática, ciências da natureza e ciências humanas.

Apenas português e matemática serão ensinados em todos os anos. A carga horária total é de 3.000 horas: 1,8 mil para conteúdo da base e 1,2 mil para os itinerários formativos, que visam o aprofundamento das áreas do conhecimento além da formação técnica e profissional dos estudantes. Serão realizadas consultas públicas regionais nos estados, promovidas pelo Conselho Nacional de Educação, até a implementação da reforma. Também está prevista a análise e a aprovação das mudanças pelas secretarias estaduais de educação.

Na última sexta-feira (14), quando houve a aprovação da BNCC do Ensino Médio, foi anunciada a liberação de R$ 58 milhões ao Distrito Federal e aos estados para a implementação da respectiva etapa. A verba foi destinada através do Programa de Apoio à Implementação da Base Nacional Comum Curricular (ProBNCC) do Ensino Médio.

Saiba mais: BNCC do ensino médio é aprovada e segue para o MEC

BNCC da Educação Básica

O documento será incorporado à BNCC dos níveis infantil e fundamental que, juntas, formam a BNCC da educação básica. Estão previstas a implementação da Política Nacional de Formação de Professores e a revisão do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), do Programa Nacional do Livro e do Material Didático (PNLD) e do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica (Saeb).

Itinerários Formativos

Os itinerários formativos “são o conjunto de disciplinas, projetos, oficinas, núcleos de estudo, entre outras situações de trabalho, que os estudantes poderão escolher no ensino médio”, de acordo com o Ministério da Educação (MEC). Haverá a organização em eixos estruturantes ligados à investigação científica, à mediação e intervenção sociocultural, aos processos criativos e ao empreendedorismo. Embora a escolha seja do estudante, a oferta será definida de forma autônoma pelas redes de ensino.

 

Agência Educa Mais Brasil

 

Mais notícias