Ivinhema é a 7ª cidade de MS a pedir prorrogação de calamidade por Covid-19

Prefeitura ressaltou que recuperação econômica parou

A prefeitura de Ivinhema, cidade no sul do Estado, pediu a prorrogação do estado de até 30 de junho. O projeto de decreto legislativo já está tramitando na ( do Estado de Mato Grosso do Sul).

Como os efeitos do decreto anterior expirou em 31 de dezembro de 2020, a proposta vai retroagir a 1º de janeiro deste ano. O motivo ainda é a pandemia de Covid-19, que ainda impacta na economia local.

O pedido foi acatado pela Mesa Diretora da Assembleia, que justificou que a cidade enfrenta “aumento recente dos números de casos” e que a vacinação ainda está na primeira fase.

Em ofício enviado à Casa de Leis, o prefeito Juliano Ferro (DEM) frisou que a pandemia persiste e a recuperação econômica da cidade parou. 

“Há projeções de contaminações pelo novo coronavírus por especialistas, com consequente agravamento da situação como um todo, que transcende a saúde pública e afeta a economia, podendo causar danos à capacidade de resposta do Poder Público”, apontou, sem detalhar estes números.

Segundo boletim epidemiológico da (Secretaria de Estado de Saúde), Ivinhema tem 1.438 casos confirmados e 23 mortes causadas pela doença. A cidade está localizada na Macrorregião de Dourados, que tem 91% dos leitos de (Unidades de Terapia Intensiva) ocupados.

A matéria ainda deve passar pelas comissões antes de ser aprovada em plenário. Para vigorar, o decreto deve ser publicado no Diário Oficial da

Além de Ivinhema, seis cidades já pediram a prorrogação do estado de calamidade. Campo Grande, Terenos, Costa Rica, Ladário e Batayporã aguardam a publicação do decreto. Rio Brilhante ainda não teve seu pedido votado.

Ivinhema é a 7ª cidade de MS a pedir prorrogação de calamidade por Covid-19
Mais notícias