Inquérito vai apurar falta de remédio para entubar pacientes em hospital de Três Lagoas

Alta demanda e atraso na entrega foram fatores complicadores na compra de insumos para combate a Covid

Maior hospital de Três Lagoas, o HNSA (Hospital Nossa Senhora Auxiliadora) enfrentou risco de colapso no estoque de materiais e medicamentos essenciais para combate ao novo coronavírus. Com estoque crítico, faltaram medicamentos usados na analgesia e sedação de pacientes que precisavam ser entubados. A situação foi relatada ao (Ministério Público de MS), que nesta terça-feira (19) publicou em Diário Oficial a abertura de inquérito para apurar o caso.

Referência para a costa leste do Estado, o hospital informou, ainda em agosto do ano passado, que vinha enfrentando dificuldades na compra dos materiais. Por meio de notas fiscais das últimas aquisições, foram informados fornecedores que aumentaram os preços dos produtos, prejudicando ainda mais a aquisição.

Entre os medicamentos com estoque mais crítico e para os quais há dificuldade de reposição estão o Atracúrio, CISAtracúrio, Rocurônio e Propofol. Eles são usados na analgesia e sedação de pacientes que precisam ser entubados. A situação será apurada pela 4ª Promotoria de Justiça do município.

 

 

 

Inquérito vai apurar falta de remédio para entubar pacientes em hospital de Três Lagoas
Mais notícias