Política / Transparência

Governo paralisa por 4 meses obra da Pactual para drenagem em Campo Grande

As obras de pavimentação, drenagem de águas pluviais, controle de erosão e recuperação do pavimento na região de cabeceira do córrego Joaquim Português em Campo Grande, foram paralisadas pela Agesul (Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos) por quatro meses.  Conforme o termo de paralisação do contrato publicado nesta segunda-feira (1º), as obras estavam sendo realizadas […]

Renata Volpe Publicado em 01/03/2021, às 11h59

Obras na cabeceira do córrego Joaquim Português. (Chico Ribeiro, Divulgação)
Obras na cabeceira do córrego Joaquim Português. (Chico Ribeiro, Divulgação) - Obras na cabeceira do córrego Joaquim Português. (Chico Ribeiro, Divulgação)

As obras de pavimentação, drenagem de águas pluviais, controle de erosão e recuperação do pavimento na região de cabeceira do córrego Joaquim Português em Campo Grande, foram paralisadas pela Agesul (Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos) por quatro meses. 

Conforme o termo de paralisação do contrato publicado nesta segunda-feira (1º), as obras estavam sendo realizadas no Parque do Prosa pela empresa Pactual Construções e foram suspensas por 120 dias a contar de hoje (1º). 

Segundo informações da assessoria da Agesul, as obras foram paralisadas devido às chuvas que impediram a execução dos trabalhos e também por atraso na entrega de materiais.

Assim, para que a empresa responsável pela obra não seja prejudicada por esses imprevistos, a Agesul paralisou os serviços, evitando que os prazos sejam excedidos e que seja preciso futuramente solicitar aditivos.

O valor do contrato com a empreiteira para realizar as obras é de R$ 4,7 milhões.

Jornal Midiamax