Política / Transparência

Empresa é investigada por uso do pátio do Detran e MPMS decide se arquiva denúncia

Investigação sobre o uso de agência do Detran-MS por empresa de vistoria veicular entrou na pauta do Conselho Superior do MPMS (Ministério Público de MS). O caso integra lista dos que serão analisados a partir da próxima segunda-feira (15). Relator, o conselheiro e procurador de Justiça Evaldo Borges Rodrigues da Costa já defendeu que não […]

Danúbia Burema Publicado em 08/03/2021, às 08h23 - Atualizado às 08h42

Vistoria é uma das principais fontes de receita do órgão. (Foto: Guilherme Cavalcante, Midiamax)
Vistoria é uma das principais fontes de receita do órgão. (Foto: Guilherme Cavalcante, Midiamax) - Vistoria é uma das principais fontes de receita do órgão. (Foto: Guilherme Cavalcante, Midiamax)

Investigação sobre o uso de agência do Detran-MS por empresa de vistoria veicular entrou na pauta do Conselho Superior do MPMS (Ministério Público de MS). O caso integra lista dos que serão analisados a partir da próxima segunda-feira (15).

Relator, o conselheiro e procurador de Justiça Evaldo Borges Rodrigues da Costa já defendeu que não seja arquivado. “Compulsando os autos, entendo que a promoção de arquivamento não deve ser homologada”, declarou nos autos.

Em parecer datado de19 de fevereiro, ele lembrou que o procedimento preparatório foi instaurado devido a diversas irregularidades no âmbito estadual. Especialmente o ocorrido na agência do Ribas do Rio Pardo, alvo da denúncia.

Com base nas informações obtidas pelo MP, o sindicato ajuizou ação civil pública. Para o conselheiro, é justamente isso que torna inviável o arquivamento do procedimento.

“Não se conhece da promoção de arquivamento quando o procedimento preparatório ou o inquérito civil instruir a ação judicial proposta pelo órgão de execução”, detalhou o procurador. O entendimento é baseado no Enunciado 17/2017, do próprio Conselho Superior do MP.

Empresa privada usando prédio público

Denúncia formalizada pelo Sindetran-MS levou à instauração da investigação, em 6 de abril de 2020. A abertura foi feita para apurar improbidade decorrente da utilização das dependências do Detran por empresa privada de vistoria veicular.

De acordo com o sindicato, a empresa Contrate Vistoria Ltda-ME passou a usar o espaço público do prédio do órgão para seu funcionamento, por não possuir sede na cidade.

Para a Promotoria de Justiça do município, o caso deve ser arquivado. A alegação é de que houve abertura de ação civil pública por ato de improbidade ‘contemplando integralmente o objeto da investigação promovida’.

Agora, o arquivamento da denúncia será analisado na pauta da 5ª sessão virtual do Conselho Superior, na próxima semana.

Jornal Midiamax