Política / Transparência

Campo Grande está entre as três capitais avaliadas com nota máxima em transparência

Campo Grande está entre as capitais avaliadas com nova 10 na Escala Brasil Transparente – Avaliação 360°, divulgada nesta sexta-feira (12) pela Controladoria-Geral da União (CGU). Somente sete municípios alcançaram a nota nota máxima na avaliação, sendo somente três capitais: Campo Grande e mais duas cidades, Recife e João Pessoa. O controlador-geral do Município, Luiz […]

Mylena Rocha Publicado em 12/03/2021, às 12h42 - Atualizado às 13h29

(Foto: Diogo Gonçalves/PMCG)
(Foto: Diogo Gonçalves/PMCG) - (Foto: Diogo Gonçalves/PMCG)

Campo Grande está entre as capitais avaliadas com nova 10 na Escala Brasil Transparente – Avaliação 360°, divulgada nesta sexta-feira (12) pela Controladoria-Geral da União (CGU). Somente sete municípios alcançaram a nota nota máxima na avaliação, sendo somente três capitais: Campo Grande e mais duas cidades, Recife e João Pessoa.

O controlador-geral do Município, Luiz Afonso de Freitas Gonçalves destaca que o resultado é fruto de todo o trabalho que vem sendo desenvolvido pela Prefeitura ao longo dos últimos anos. “Investimos muito em transparência, criamos e aprimoramos ferramentas para tornar os dados públicos acessíveis à população. Um exemplo é a criação do Portal Transparência COVID-19 ”, ressalta o controlador-geral.

O controlador-geral explica que a Administração está pronta para atender as normas impostas pelos órgãos de controle externo no que diz respeito à transparência. “O Portal da Transparência está em constante evolução, vamos nos adaptando às demandas e aperfeiçoando cada vez mais este canal de extrema importância para a sociedade”, conclui Luiz Afonso.

Já o coordenador-geral da transparência, Arley Sandim, ressalta a evolução que a Capital obteve na última avaliação. “Na primeira edição divulgada em 2018 pela CGU, Campo Grande ocupou o quarto lugar entre as capitais com a nota 9,64. Diante desse resultado o Portal passou por várias mudanças e melhorias para que hoje pudéssemos atingir a pontuação máxima”, destaca o coordenador-geral.

Nesta segunda edição da avaliação, foram incorporados aspectos da transparência ativa como a verificação da publicação de informações sobre receitas e despesas, licitações e contratos, estrutura administrativa, servidores públicos, acompanhamento de obras públicas, entre outros requisitos.

(com informações da PMCG)

Jornal Midiamax