Política / Transparência

Buscas na Seleta são referentes a investigação que apura desvio de dinheiro em TAC

O cumprimento de cinco mandados de  busca e apreensão na sede da Seleta, em Campo Grande, foram solicitados pelo MPF (Ministério Público Federal). Os mandados, expedidos pelo Tribunal Regional Federal na 3ª Região, foram executados nas cidades de Campo Grande e também em Anastácio. Segundo apurado pela reportagem, o cumprimento dos mandados pela PF (Polícia […]

Guilherme Cavalcante Publicado em 25/02/2021, às 09h07 - Atualizado às 12h17

Foto: Henrique Arakaki | Midiamax
Foto: Henrique Arakaki | Midiamax - Foto: Henrique Arakaki | Midiamax

O cumprimento de cinco mandados de  busca e apreensão na sede da Seleta, em Campo Grande, foram solicitados pelo MPF (Ministério Público Federal). Os mandados, expedidos pelo Tribunal Regional Federal na 3ª Região, foram executados nas cidades de Campo Grande e também em Anastácio.

Segundo apurado pela reportagem, o cumprimento dos mandados pela PF (Polícia Federal) integram investigação comandada pelos procuradores regionais da República na 3ª Região, Leonardo Cardoso de Freitas e José Roberto Pimenta Oliveira. A investigação apuraria existência de crimes de peculato e organização criminosa cometidos pelos investigados, no caso, um membro do MPT (Ministério Público do Trabalho).

As investigações ocorrem em conjunto com a PF (Polícia Federal) e identificaram desvio de valores provenientes de TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) firmados pelo MPT e destinados para instituições sediadas no Mato Grosso do Sul, por membro do MPT.

Buscas na Seleta são referentes a investigação que apura desvio de dinheiro em TAC
Presidente da Seleta nesta manhã na sede | Foto: Henrique Arakaki | Midiamax

Inicialmente, o presidente da Seleta, Roberto Barros de Oliveira, afirmou que agentes buscaram contratos referentes a “acordos de trabalho”. Posteriormente, ele detalhou que se tratava de fiscalização de um TAC firmado em administrações anteriores.

“Da nossa parte, nós cumprimos o TAC. Fizemos ações de acolhimento a haitianos em Campo Grande, fizemos ações na Comunidade Quilombola Furnas do Dionísio, em Jaraguari. Mas aparentemente a situação está sendo fiscalizada, ou houve alguma inconformidade, porque as buscas são feitas por pedido de um promotor”, detalhou ao Jornal Midiamax.

Agentes da Polícia Federal fizeram buscas na manhã desta quinta-feira (25), no prédio da sede da Seleta (Seleta Sociedade Caritativa e Humanitária), em Campo Grande. Eles chegaram no prédio em duas viaturas, pouco depois das 6 horas da manhã, mas não passaram detalhes.

Além da Seleta, o RessoArte (Instituto de Arte, Cultura e Desenvolvimento), em Anastácio, também foi alvo de cumprimento de mandados pela PF na manhã desta quinta-feira (25).

* Atualizado às 10h17 para acréscimos de informação

Jornal Midiamax