Política / Transparência

Após recusa em abastecer, Governo de MS reajusta contrato da gasolina a R$ 5,371

A SAD-MS (Secretaria de Estado de Administração e Desburocratização de Mato Grosso do Sul) reajustou os preços dos combustíveis fornecidos pelo Consórcio Taurus à frota estadual, principalmente às viaturas policiais. O extrato de apostilamento foi publicado na edição desta quinta-feira (25) do DOE (Diário Oficial Eletrônico). O reajuste vem logo depois da distribuidora ameaçar n...

Adriel Mattos Publicado em 25/02/2021, às 08h29 - Atualizado em 26/02/2021, às 07h54

Rede Taurus tem convênio com governo de MS. (Marcos Ermínio, Midiamax)
Rede Taurus tem convênio com governo de MS. (Marcos Ermínio, Midiamax) - Rede Taurus tem convênio com governo de MS. (Marcos Ermínio, Midiamax)

A SAD-MS (Secretaria de Estado de Administração e Desburocratização de Mato Grosso do Sul) reajustou os preços dos combustíveis fornecidos pelo Consórcio Taurus à frota estadual, principalmente às viaturas policiais. O extrato de apostilamento foi publicado na edição desta quinta-feira (25) do DOE (Diário Oficial Eletrônico).

O reajuste vem logo depois da distribuidora ameaçar não reabastecer veículos oficiais. Agora, os preços dos combustíveis passam a ter os seguintes valores:

GasolinaR$ 5,371
EtanolR$ 3,821
DieselR$ 4,272
Diesel S-10R$ 4,346
GNVR$ 3,539

Para autorizar a alta, a secretaria considerou a média de preço aferida pela ANP (Agência Nacional de Petróleo, Biocombustíveis e Gás Natural).

Entenda

Desde que o preço do combustível voltou a subir nos postos em Campo Grande, alguns donos passaram a recusar o abastecimento de viaturas. De acordo com a gerente de um posto, que fica na região da Chácara Cachoeira, a decisão de atender ou não o abastecimento de viaturas do Governo depende do proprietário de cada posto. “Cada posto trabalha à sua maneira. Aqui não bloqueamos ninguém”, disse.

Só neste ano, a rede Taurus recebeu R$ 1,5 milhão do Governo, fruto de contratos para fornecimento de combustível para a frota estadual. Desde o primeiro dia de janeiro, conforme o portal da transparência do Estado, foram empenhados R$ 6,8 milhões para a rede. O valor segue sendo pago diariamente, conforme constam notas de empenho publicadas no DOE.

Segundo a Sejusp (Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública), depende do dono de cada posto para atender ou não. A SAD tem feito atualização dos valores. “Fazíamos mensalmente, depois quinzenalmente e agora duas vezes por semana”, afirmou o secretário Antônio Carlos Videira. “A alta do combustível nas distribuidoras têm feito com que muitos donos não queiram fornecer”, finalizou.

Jornal Midiamax