Política / Transparência

Prefeitura pagou R$ 1,78 por cada máscara e desmente postagem sobre R$ 89 por unidade

A Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) desmentiu notícia que circulou nas redes sociais sobre a compra de 28 mil caixas de máscaras, que serão distribuídas durante a pandemia de coronavírus (Covid-19). No fim de semana, circulou uma postagem na qual afirma que a Prefeitura de Campo Grande pagou R$ 89 em cada unidade do equipamento […]

Mayara Bueno Publicado em 27/04/2020, às 09h33 - Atualizado às 19h06

Máscaras serão distribuídas para as escolas estaduais. (Ilustrativa, | Acácio Pinheiro, Agência Brasil)
Máscaras serão distribuídas para as escolas estaduais. (Ilustrativa, | Acácio Pinheiro, Agência Brasil) - Máscaras serão distribuídas para as escolas estaduais. (Ilustrativa, | Acácio Pinheiro, Agência Brasil)

A Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) desmentiu notícia que circulou nas redes sociais sobre a compra de 28 mil caixas de máscaras, que serão distribuídas durante a pandemia de coronavírus (Covid-19).

No fim de semana, circulou uma postagem na qual afirma que a Prefeitura de Campo Grande pagou R$ 89 em cada unidade do equipamento de proteção individual. De acordo com a Sesau, no entanto, o valor refere-se a uma caixa com 50 máscaras, não uma, custando R$ 1,78 cada unidade.

De fato, a publicação oficial no Portal da Transparência mostra ‘R$ 89’ ao lado de ‘valor unitário’, mas, segundo a Prefeitura, a informação refere-se ao preço de cada caixa.

O empenho sobre a aquisição é de 23 de abril . “O menor preço encontrado pela Prefeitura foi de R$ 1,78 e houve necessidade de aquisição dos produtos para suprir a necessidade da Rede e dos profissionais”, esclareceu a secretaria de Saúde em nota divulgada em sua rede social.

Este preço é superior ao que foi pago pela Câmara Municipal de Campo Grande, que, um mês antes, teria conseguido comprar o mesmo equipamento por R$ 0,30, cada. Sobre isso, o município também ressaltou que a aquisição da Casa de Leis foi feita em 18 de março, um mês antes do Executivo municipal. “O fato é que, neste período, houve um aumento significativo nos preços praticados pelos fornecedores, o que é justificado pela alta demanda e falta de material”.

Compra

No Diogrande (Diário Oficial de Campo Grande) de 23 de abril, o município divulgou termo de ratificação com as empresas Pacotão Comércio e Serviços de Higiene, por R$ 2,5 milhões, e Paraná Distribuidora, Importadora e Exportadora de Equipamentos, por R$ 2,6 milhões. Nos dois casos, não houve licitação porque a compra foi feita em caráter emergencial.

A Sesau acrescenta que o empenho não significa, necessariamente, que todas as unidades previstas nestes preços, serão adquiridas e pagas. As máscaras serão solicitadas de acordo com a necessidade.

Jornal Midiamax