Obras do Corredor Sudoeste vão custar R$ 11,4 milhões

Empresa ofereceu valor 9,33% menor que o estimado pela prefeitura

As obras de implantação do Corredor Sudoeste do transporte coletivo vão custar R$ 11,4 milhões. O aviso de resultado final foi publicado na edição desta terça-feira (29) do (Diário Oficial de Campo Grande).

A prefeitura tinha estimado o serviço em R$ 12,5 milhões, mas a Engenharia e Participações ofereceu um valor 9,33% menor para executar as obras.

A previsão é que haverá recapeamento e outros serviços no trecho da Avenida Marechal Deodoro entre os terminais Aero Rancho e Bandeirantes, na ida e na volta.

A faixa exclusiva de ônibus será implantada rente ao canteiro central, com estações de pré-embarque. O prazo de execução é de um ano, a partir da assinatura da ordem de serviço.

Os dois primeiros braços do Corredor Sudoeste do transporte coletivo já estão quase prontos. No trecho Guia Lopes/Brilhante, está sendo feita as sinalizações horizontal e vertical, além de instaladas as 5 estações programadas para o trecho de 2,2 km. 

Na sequência, virão novos semáforos. Os 3,8 km da Bandeirantes estão recapeados e ainda neste mês começa a sinalização e serão concluídas as sete estações.

Corredores de ônibus

A Rua Bahia, primeira etapa do Corredor Norte, já está recapeada. O Corredor Norte vai ligar o Centro da cidade, a partir do cruzamento com a Avenida Afonso Pena, aos terminais General Osório e Nova Bahia.  

Os corredores de transporte estão previstos no plano municipal de mobilidade urbana, em vigor desde 2015. São 69 quilômetros de pistas exclusivas para os ônibus trafegarem entre os terminais Guaicurus, Morenão (região Sul da cidade), General Osório  e Nova Bahia (região Norte),passando pelo Centro da cidade. 

O Corredor Sudoeste liga os terminais Aero Rancho e Bandeirantes ao Centro da cidade.

Segundo os técnicos da Agência Municipal de Transporte e Trânsito, com as pistas exclusivas, os ônibus deixam de disputar espaço no trânsito com os demais veículos. Com isso, a expectativa é aumentar em até 62% a velocidade média (de 16 para 25 km/h) dos coletivos.

Obras do Corredor Sudoeste vão custar R$ 11,4 milhões
Mais notícias