Licitação de R$ 4,5 milhões para retomada do Belas Artes tem 2 concorrentes

Se não houver imprevistos, a obra pode ser reiniciada já em março

A licitação que busca retomar a construção do Centro de Belas Artes, no Bairro Cabreúva, em Campo Grande, parada há pelo menos sete anos, deu mais um passo. Nesta terça-feira (4), o município divulgou o resultado da habilitação das empresas.

Duas únicas concorrentes, a Vale Engenharia e Construções e Meta Construtora foram classificadas. Depois que encerrar o período de cinco dias para recurso, a Central de Compras e Licitação da Prefeitura marca a data para abertura de propostas.

Com teto de R$ 4,5 milhões, a concorrência foi aberta em agosto de 2019 e vai abranger 3 mil metros quadrados de um total de 15 mil do prédio, que fica na Avenida Ernesto Geisel. A informação, na ocasião, foi de que, por estar prevista em contrato com o governo federal, esta parte precisa ser finalizada para que o restante do Centro seja retomado.

O secretário de Infraestrutura do município, Rudi Fioresi, afirmou que, se as etapas restantes ocorrerem sem questionamentos das empresas, é possível que a obra seja reiniciada já em março. O processo pode demorar um pouco mais, considerando que, tanto na etapa de habilitação quanto na de propostas, abrem-se, ao final, prazos de cinco dias úteis para recurso. Se houver esta demanda, a prefeitura precisa analisar e responder as demandas, em período que não é pré-determinado.

Histórico

O Belas Artes teve a construção paralisada de vez há sete anos, mas a obra começou há 26. Naquela ocasião, a ideia para o prédio era abrigar a rodoviária de Campo Grande. Em 2007, o projeto foi transformado em Centro de Belas Artes.

Um ano depois, a prefeitura firmou convênios com o Ministério do Turismo de R$ 5,8 milhões e 80% da obra referente a este contrato já foi concluída. O segundo convênio era de R$ 2,9 milhões, cujo objeto teve apenas 11% de execução.

Mais notícias