Esquema de locação de equipamentos hospitalares deu prejuízo de R$ 120 milhões ao Estado

Operação do Gaeco cumpriu mandados em MS e mais quatro estados nesta quarta

Operação de combate à corrupção deflagrada nesta quarta-feira (1º) em e mais quatro estados terminou com 19 mandados de busca e apreensão cumpridos nos cinco estados. Em , foram cumpridos mandados em Campo Grande e no interior, detalhes, no entanto, não foram divulgados pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao ). O esquema, segundo investigação, deu prejuízo de R$ 120 milhões aos cofres estaduais.

De acordo com o (Ministério Público Estadual), a operação batizada de “Redime’ também cumpriu buscas em , Paraná, Ceará e Piauí.

A operação é fruto de investigação que tramita na 31ª Promotoria de Justiça de Defesa do Patrimônio Público e Social de Campo Grande e apura a ocorrência dos crimes de fraude em licitação, lavagem de dinheiro, corrupção ativa e passiva e delitos correlatos.

A investigação apurou existência de suposto esquema criminoso que fraudou licitação para contratação de empresa de locação de equipamentos médico-hospitalares no Estado. O contrato foi assinado em 2015 e ainda está ativo porque aditivos vêm sendo feitos desde então. Segundo o Gaeco, mais de R$ 120 milhões já foram pagos pelo Estado ao grupo.

Os mandados de busca e apreensão foram expedidos pela 1ª Vara Criminal de Campo Grande e cumpridos por 17 Promotores de Justiça, 15 servidores do MP, 70 Policiais Militares e 4 Policiais Civis, tendo como alvos pessoas físicas e jurídicas.

Foram apreendidos documentos, agendas, registros contábeis, anotações, comprovantes de movimentações bancárias, computadores, notebooks, dinheiro em espécie, além de aparelhos de telefonia móvel.

Esquema de locação de equipamentos hospitalares deu prejuízo de R$ 120 milhões ao Estado
Mais notícias