Política / Transparência

Empresa terá um ano e oito meses para recuperar área da cabeceira do córrego Joaquim Português

A Agesul (Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos de Mato Grosso do Sul) assinou contrato de R$ 4,7 milhões com a empresa Pactual Construções para recuperar a área da cabeceira do Córrego Joaquim Português, em Campo Grande. O extrato foi publicado na edição desta quinta-feira (5) do DOE (Diário Oficial Eletrônico). O serviço inclui  obras […]

Adriel Mattos Publicado em 05/11/2020, às 07h56 - Atualizado às 07h59

Foto: Chico Ribeiro, Subcom-MS
Foto: Chico Ribeiro, Subcom-MS - Foto: Chico Ribeiro, Subcom-MS

A Agesul (Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos de Mato Grosso do Sul) assinou contrato de R$ 4,7 milhões com a empresa Pactual Construções para recuperar a área da cabeceira do Córrego Joaquim Português, em Campo Grande.

O extrato foi publicado na edição desta quinta-feira (5) do DOE (Diário Oficial Eletrônico).

O serviço inclui  obras de pavimentação asfáltica, recuperação do pavimento, drenagem de águas pluviais e controle de erosão na região da cabeceira do córrego, localizado no Parque dos Poderes Governador Pedro Pedrossian.

A licitação foi finalizada no mês passado. Antes de lançar o edital, o governo havia pedido estudos para a recuperação. O projeto faz parte da iniciativa de desassoreamento dos lagos do Parque das Nações Indígenas, feita em parceria com a prefeitura de Campo Grande. 

A Pactual tem 240 dias (cerca de um ano e oito meses) para executar o serviço, após a emissão da ordem de serviço.

Jornal Midiamax