Com problema em escalas médicas, HU é alvo de recomendação para ativar leitos de UTI

Com funcionamento de 15 novos leitos, hospital chegará ao montante de 29 para atendimento aos casos de coronavírus

Após ter cinco leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) habilitados pelo Ministério da Saúde e receber da (Secretaria de Estado de Saúde) para equipar outros dez, o HU () da UFGD (Universidade Federal da Grande Dourados) foi alvo de recomendação para que coloque imediatamente as unidades em funcionamento para atender a pacientes contaminados pelo novo coronavírus.

Quando os novos leitos entrarem em operação, o hospital passará a funcionar com 29 no total. Contudo, a liberação tem esbarrado em dificuldade para fechamento da escala de plantão. A informação foi repassada pelo próprio hospital ao MPF (Ministério Público Federal).

Em ofício, a entidade havia se comprometido a fechar escala mesmo sem anuência do corpo clínico. A medida havia sido acordada em reunião, no dia 30 de junho, para agilizar a abertura dos leitos. Entretanto, a situação ainda não foi resolvida. Em recomendação assinada pelo MPF e MPT (Ministério Público do Trabalho), o superintendente do HU da UFGD foi orientado a operacionalizar os leitos no prazo de 15 dias.

O documento foi emitido nesta segunda-feira (6) e aponta também a necessidade de capacitação e realocação de médicos e para a UTI da Covid-19. Conforme a EBSERH (Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares), o remanejamento não caracteriza desvio de função.

Com problema em escalas médicas, HU é alvo de recomendação para ativar leitos de UTI
Mais notícias