Após ‘força-tarefa’, União mantém em Dourados R$ 4,1 milhões que seriam devolvidos

Equipe de transição para a administração de Alan Guedes e gabinete do senador Nelsinho Trad conseguiram manter recursos

Uma força-tarefa conseguiu evitar nesta semana a devolução de recursos federais do (Programa de Aceleração do Crescimento) para que a quantia – de R$ 4.179.068,53 – seja migrada para investimento em obras de infraestrutura no município de , a 230 km de Campo Grande.

Os recursos federais são referentes a parte de uma obra não executada, de 2007, no valor total de R$ 23.306.641,62, com contrapartida de R$ 3.756.641,62. Dividido em quatro etapas, duas foram concluídas e outras duas estão com mais de 90% finalizadas. Os R$ 4,1 milhões referem-se a obras que não foram executadas. Por isso, o valor deveria ser restituído à União, com juros e correção monetária.

A pendência junto à Caixa e ao Ministério foi identificada durante a transição para a administração do prefeito eleito de , Alan Guedes (Progressistas), sob o comando do professor Henrique Sartori.

“Precisávamos de articulação junto ao Ministério do Desenvolvimento Regional para evitar a devolução do recurso, que já estava depositado. Como temos projeto para uma obra da mesma natureza, solicitamos apoio para mantê-los, por meio de uma migração”, detalhou o prefeito eleito.

“Assim, mandamos à Brasília nosso coordenador da transição e acionei o gabinete do senador Nelsinho Trad para nos auxiliar. Com o aval positivo, já vamos encaminhar a documentação no dia 4 de janeiro para que já possa licitar a obras”, detalhou Guedes ao Jornal Midiamax. Ele toma posse nesta sexta-feira, 1º de janeiro.

Também ao Jornal Midiamax, o senador (PSD) detalhou que diante da recomendação para a devolução dos recursos à União, a solução foi tentar sensibilizar a migração dos R$ 4,1 milhões.

“Nosso gabinete preparou uma justificativa para tentar um parecer positivo, de forma que o município aplicasse esse recurso em obras de infraestrutura. Conseguimos convencer o colegiado formado pelos analistas de que seria um ganho muito grande caso o recurso fosse empregado. Tivemos a resposta agora e o novo prefeito poderá utilizá-los”, detalhou o senador, que disponibilizou equipe técnica para a argumentação.

Positivo

O posicionamento favorável do ministro Rogério Marinho veio nesta semana, com o aval para que possa ser lançada licitação com emprego dos R$ 4,1 milhões restantes, que serão destinados a obras de infraestrutura, como e pavimentação do Social Juty, além de duplicação da Avenida Antônio Emílio Figueiredo, e no acesso ao Estrela Porã e Social Ipê Roxo, onde residem diversas famílias.

Para Alan Guedes, o apoio do senador foi preponderante para que os recursos federais pudessem ser reinvestidos. “Bom constatar que temos parlamentares com interesse em contribuir conosco. Vamos seguir estabelecendo essas parcerias”, detalhou o prefeito eleito.

“Nós ressuscitamos esse recurso que estava perdido. Quando tem 1% de chance, e vontade de correr atrás, tem que ir. Não se consegue nada sozinho. Se não fosse a equipe de transição ter visto isso e corrido atrás, nada disso teria acontecido. Salvamos quase R$ 5 milhões para ”, acrescentou o senador.

Após 'força-tarefa', União mantém em Dourados R$ 4,1 milhões que seriam devolvidos
Mais notícias