Após denúncia de maus-tratos, Sejusp e Agepen são alvo de investigação do MPMS

Em março, familiares protestaram contra supostos maus-tratos ocorridos na unidade

O MPMS instaurou Inquérito Civil a fim de apurar irregularidades concernentes à segurança no CPAIG (Centro Penal Agroindustrial da de Regime Semiaberto), conforme publicação do DOMP (Diário Oficial do MPMS) desta quinta-feira (1º).

A investigação preliminar tem como requeridos A (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário) e a Sejusp (Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública), e correrá na 50ª Promotoria de Justiça da Comarca de Campo Grande, comandada pela promotora de Justiça Jiskia Sandri Trentin.

Em março deste ano, famílias de internos da Gameleira denunciaram supostas agressões no local, em protesto realizado na Praça Ary Coelho. Segundo alguns familiares, havia relatos de que presos teriam sofrido constantes agressões e até ficado sem alimentação. Na ocasião, a negou as acusações e destacou que não existe qualquer tipo de maus-tratos aos internos da Penitenciária Masculina de Regime Fechado da II.

Segundo a , os direitos básicos dos presos estariam sendo garantidos e que a alimentação é fornecida diariamente por uma empresa terceirizada. E que dentro do penitenciária existe um setor de saúde que realiza atendimento médico aos reeducandos e as visitas seguem sendo realizados duas vezes por mês.

Após denúncia de maus-tratos, Sejusp e Agepen são alvo de investigação do MPMS
Mais notícias