Agesul paralisa seis obras de infraestrutura urbana em municípios de MS

Recapeamento, drenagem de águas e serviços de tapa-buraco foram paralisados nos municípios

A Agesul (Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos) publicou em Diário Oficial nesta sexta-feira (3), termo de paralisação de seis obras de infraestrutura urbana, que envolve pavimentação asfáltica e drenagem de águas, em municípios de Mato Grosso do Sul.

A primeira paralisação é da obra em Água Clara, na rua Maria Augusta de Carvalho. A empresa responsável é a Sultec Construtora. A suspensão é de 90 dias consecutivos, contados a partir de 1º de dezembro de 2019.

O segundo termo foi para paralisar a obra em Amambai, na Avenida Nicolau Otano. A empresa Arnaldo Santiago ME, realizava no local o recapeamento do asfalto e a paralisação também é de 90 dias.

Em Naviraí, a Agesul prorrogou a paralisação por mais 90 dias, contando a partir de 20 de novembro do ano passado, as obras que a empresa Concrenavi Concreto Usinado Navirai LTDA, faz nas ruas do Jardim Paraíso. São duas paralisações no mesmo local, que contemplam etapa 1 e 2. 

A Agência também prorrogou os serviços de recapeamento e tapa-buraco em Corguinho e no distrito Taboco, porém, por 180 dias consecutivos. A Concrenavi é a responsável pelo serviço e a paralisação é contada a partir de 26 de setembro do ano passado. 

O último termo é a prorrogação da paralisação do projeto de arquitetura e urbanismo para adequação do prédio da Sefaz (Secretaria de Fazenda), em Campo Grande. A prorrogação é de 120 dias, a partir de 15 de dezembro.

A reportagem entrou em contato com a assessoria de imprensa da Agesul para saber os motivos das paralisações, mas até o fechamento deste texto, não obteve resposta.

Mais notícias