Sindicâncias na Guarda Municipal apuram de falta no trabalho até porte ilegal de arma

Publicações sobre afastamento de servidores, abertura de sindicância e demissões têm sido constantes

De faltas reiteradas, abandono de emprego e até prisão por porte ilegal de arma. Essas são alguns dos principais motivos para aberturas de sindicâncias contra guardas municipais de Campo Grande, que terminam em suspensão e demissão.

Segundo o secretário de Segurança Pública de Campo Grande, Valério Azambuja, os casos ‘mais e menos graves’ ocorreram entre 2015 e 2017 e, até então, estavam parados. ‘Agora, com uma força-tarefa entre a Corregedoria e o jurídico da Guarda Municipal, aceleramos os processos’. Por isso, afirma, as publicações envolvendo o setor tem sido constantes no Diogrande (Diário Oficial de Campo Grande).

Somente neste semana, foram publicados ao menos 13 suspensões de profissionais que ocupam o cargo municipal. Hoje, foram cinco, além de abertura de seis sindicâncias e duas exonerações, a pedido.

O titular explica que há casos de guardas que faltaram ao trabalho de 90 a 200 dias, configurando abandono de trabalho. ‘Os salários estavam suspensos, mas continuam guarda. Tenho notícia de gente que foi para outro Estado e até para Bolívia’.

No rol das situações mais graves, há profissionais que foram presos por porte ilegal de arma. Um dos casos mais recentes, lembra o secretário, um servidor que foi preso em um posto de gasolina, em Campo Grande, por portar armamento sem autorização.

Em maio, um guarda municipal de 34 anos foi afastado de suas funções por 60 dias também após ser preso por porte ilegal. Ele foi detido em flagrante depois de disparar o armamento na Rua Brasília no Jardim Imá.

Neste ano, os guardas Rafael Antunes e Robert Vitor foram presos após o Garras (Delegacia Especializada de Repressão a Roubo a Bancos, Assaltos e Sequestros) descobrir envolvimento deles com a descoberta de um arsenal avaliado em R$ 200 mil, em uma casa no Monte Líbano que poderia ter ligações com execuções na Capital. O processo contra ambos segue na Guarda Municipal.

Mais notícias