Sancionada lei que prevê reajuste escalonado de 4,17% a prefeito e auditores

Acréscimo salarial é o mesmo aplicado aos demais servidores do Executivo municipal

Foi sancionado o reajuste de 4,17% nos salários do prefeito Marquinhos Trad (PSD) e dos auditores da Prefeitura de Campo Grande. O acréscimo é o mesmo aplicado às remunerações dos demais servidores e será pago em duas vezes. Retroativo a outubro, 1% será aplicado e, em dezembro, o restante do percentual será aplicado.

Conforme a lei, publicada no Diogrande (Diário Oficial de Campo Grande) desta sexta-feira (22), o reajuste abrange prefeito e a vice-prefeita Adriane Lopes (Patri). Secretários, procuradores e titulares de entidades ficaram de fora do acréscimo. O chefe do Executivo municipal afirmou que o reajuste só estava sendo apresentado para abranger os auditores, cuja remuneração está vinculada ao teto.

Sem reajuste desde 2010, o salário do líder do executivo municipal é de R$ 20.412,42. No ano passado, foi encaminhado projeto para reajuste quando houve a discussão do aumento do teto salarial do STF (Supremo Tribunal Federal) e o subsídio poderia chegar a R$ 35.462,22, um aumento de 73%. No entanto, o reajuste ao prefeito não foi concedido, a pedido de Marquinhos Trad.

Mais notícias