Presidente da Infraero vem à Capital assinar contrato para ampliação de aeroporto

Ampliação e reforma do aeroporto custará R$ 39,9 milhões e deve ser concluída em 18 meses

O presidente da Infraero, Brigadeiro do Ar Hélio Paes de Barros, vem a Campo Grande amanhã (18), assinar Ordem de Serviço para o início das obras de reforma, modernização e ampliação do Aeroporto Internacional da Capital. A solenidade está prevista para acontecer às 10h, no terminal aeroportuário. 

A ampliação e reforma vai custar R$ 39,9 milhões. O escopo da obra contempla a elaboração dos projetos básicos e executivos; a reforma, ampliação e modernização do terminal de passageiros; a construção de nova Central de Utilidades, Central de Gás e Reservatórios; além da adequação das vias de acesso ao aeroporto.

Serão 18 meses para execução dos serviços, contados a partir da assinatura do contrato, que será realizada amanhã (18). A previsão é que ao fim das obras, o terminal de passageiros estará 65% maior, passando de 6.185 m² para 10.027 m²; a sala de embarque passará de 480 m² para 1.740 m²; e o saguão de 1.508 m² para 2.916 m². 

Segundo a Infraero, também terá aumento na capacidade do terminal, que passará dos atuais 2,5 milhões de passageiros por ano para 4,5 milhões. A climatização do aeroporto será modernizada, assim como os sanitários. Além disso, o terminal contará com projetos de sustentabilidade através do reaproveitamento da água da chuva e do sistema de climatização.

 Mais três balcões de check-in serão instalados e mais dois equipamentos de raio-x, segundo o superintendente do aeroporto, Richard Aldrin Fernandes Custodio. 

A obra deve gerar dois mil empregos diretos e indiretos e após finalizada a ampliação e reforma, Campo Grande terá um aeroporto condizente com a importância da região, de acordo com o presidente da Infraero, Brigadeiro Hélio Paes de Barros. “Entregaremos um aeroporto moderno e sustentável, com a cara de Campo Grande, que tem extrema relevância para a economia e para o turismo de Mato Grosso do Sul e do País”. 

 O contrato deve ser assinado com a presença do governador Reinaldo Azambuja (PSDB) e do prefeito da Capital, Marquinhos Trad (PSD).

Mais notícias