Com contrato de R$ 1,8 milhão para arrumar 70 veículos, prefeitura alega que frota estava sucateada

Mesmo não tendo usado valor inicial, prefeitura aditivou contrato milionário em 25%

Após aditivar em 25% contrato milionário para manutenção da frota formada por 70 veículos, a prefeitura de Anaurilândia justificou os gastos informando que a frota estava sucateada. Segundo a gestão, o aditivo foi feito para evitar nova licitação em 2020 e, apesar dos valores, os gastos com o serviço no último ano foram apenas a metade do valor previsto.

Nesta quinta-feira (14), a administração municipal divulgou no Diário Oficial do Estado o extrato do Primeiro Termo Aditivo ao contrato firmado com a S.H. Informática LTDA para manutenção de 70 veículos cadastrados como frota oficial do município, aumentando o valor inicial, que era de R$ 1,5 milhão, para R$ 1.875.000,00 

Segundo informado pelo setor de administração da prefeitura, o aditivo de 25% no valor do contrato foi feito para não precisar abrir nova licitação em 2020. Do valor previsto, a gestão gastou R$ 848.337,46 nos últimos 12 meses. Os valores foram usados na manutenção dos veículos automotores e maquinários prefeitura. Os gastos são decorrentes da frota sucateada, conforme informado pela gestão do município.

O serviço objeto do contrato inclui credenciamento de rede de estabelecimentos (autopeças, oficinas mecânicas, auto-elétricas, retificadoras de motores, funilarias, borracharias, alinhamento e balanceamento, escapamentos, serviço de lavagem, serviço de guincho, entre outros) para prestação de serviços de manutenção preventiva, corretiva e garantia, incluindo nestes, o fornecimento de quaisquer peças, pneus e acessórios, serviços necessários para toda frota da contratante.

Maquinário

Depois do aditivo milionário para conserto da frota, o prefeito de Anaurilândia, Edson Takazono (MDB) afirmou que a prefeitura tem investido em novos veículos para o município, porque os anteriores não tinham mais como atender. De acordo com ele, foi inclusive firmado acordo com o MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul) para renovação dos veículos.

“Nós compramos veículos, maquinário e trator para os assentamentos”, informou, detalhando que a compra incluiu patrolas, pás carregadeiras e retroescavadeiras. “O município tem um território de 200 mil hectares de terra, mas não tinha nenhum caminhão caçamba”, disse. De acordo com o prefeito, as aquisições têm sido feitas desde o início do ano e 20% dos recursos de investimentos foram destinados para a compra de veículos e máquinas.

Mais notícias