MPMS apura acúmulo de cargos e contratações temporárias em cidades da fronteira

O MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul) abriu inquérito civil para apurar se o ex-secretário de Segurança Pública de Ponta Porã, Marcelo Meneses Echeverria de Lima, cometeu alguma ilegalidade e acumulou cargos públicos indevidamente. O caso surgiu após denúncia anônima recebida pela promotoria local.

A denúncia, feita em junho, aponta que o ex-secretário também atuou como chefe substituto do Ministério do Trabalho em Ponta Porã, exercendo as duas funções durante os anos de 2017 e 2018, recebendo nos dois lugares.

Contudo, as investigações ainda estão em fase inicial e não é possível apontar se de fato houve ou não ilegalidade. A reportagem tentou falar com Marcelo, porém, até o fechamento do texto não conseguiu êxito no contato e o espaço para resposta segue aberto na matéria, atualizada assim que houver retorno.

Já em Antônio João, que assim como Ponta Porã fica na fronteira com o Paraguai, o Ministério Público abriu inquérito para apurar suposta irregularidade em contratações temporárias para ocupar cargos na prefeitura, mesmo havendo candidatos aprovados em concurso público que não foram convocados.

Mais notícias