MP investiga favorecimento em contratos de tecnologia de R$ 33 milhões na Sefaz

Uma das empresas citadas é a PSG Tecnologia, alvo de outras investigações e implicada na Operação Lama Asfáltica

O MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul) publicou na edição desta sexta-feira (13) de seu Diário Oficial a conversão de procedimento preparatório para inquérito civil da investigação referente a dois contratos firmados pela Sefaz (Secretaria de Estado de Fazenda) com as empresas PSG Tecnologia e Geoi2.

Somados, os contratos chegam a R$ 33.219.360 por ano. Mensalmente, a PSG Tecnologia R$ 1,5 milhão para prestar serviços de processamento de dados, o que anualmente garante o repasse de R$ 18.159.360 para a empresa, de Antônio Celso Cortez.

Também nesta sexta, despacho da 3ª Vara da Justiça Federal de Campo Grande publicado no Diário Oficial do TRF3 (Tribunal Regional Federal da 3ª Região) determinou que seja feita uma avaliação contábil para verificar o valor de mercado das cotas sociais da empresa, a pedido da defesa de Cortez, que possui bens bloqueados.

A decisão foi tomada dentro de ação referente à Operação Lama Asfáltica. Existe a suspeita que a PSG tenha ligação com o empresário João Roberto Baird, que assim como Cortez, são investigados por participar de esquemas de corrupção no Estado.

Já a Geoi2 Tecnologia da Informação possui contrato de R$ 15.060.000, o que a garante mensalmente R$ 1,2 milhão para prestar serviços técnicos profissionais na área. A Geoi2 é uma empresa que faz parte do grupo Imagetech.

Empresários apontaram irregularidades

Ainda em 2017, data do certame, empresários do setor de tecnologia reclamaram ao Jornal Midiamax que houve favorecimento na licitação através de especificações de serviço de mainframe incluídas no edital que regeu o processo de escolha.

O mainframe nada mais é do que um computador de grande porte dedicado ao procedimento de considerável volume de informações. Contudo, a PSG não era proprietária de tal equipamento, o alugando da fabricante IBM.

Conforme reportagem da época, Geoi2 foi contratada para atividades de análise e desenvolvimento de sistemas de informação e prestar serviço de “Contact Center/Call Center”, tendo para isso contratar pessoal para atender até 1,2 milhão de pessoas.

Mais notícias