Justiça dá 3 dias para ex-candidata a deputada explicar pesquisa de 2018

Parecer no processo de prestação de contas foi pela devolução de R$ 115 mil; processo segue em andamento.

A Justiça Eleitoral deu prazo de três dias para ex-candidata a deputada federal pelo PTC se manifestar sobre pesquisa eleitoral realizada nas eleições 2018. A decisão foi publicada no Diário Oficial do TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul) desta quinta-feira (07).

Segundo a publicação, na análise da prestação de contas da candidata a Coordenadoria de Controle Interno e Auditoria emitiu parecer pela desaprovação e pela devolução de R$ 115 mil, porque ela não teria comprovado a correta destinação de recursos oriundos do Fundo Especial de Financiamento de Campanha.

Em seu parecer, a Procuradoria Regional Eleitoral opinou pela realização de diligência, alegando que a prestadora não teve oportunidade de se manifestar sobre a conclusão do setor de análise de contas ‘acerca da possível fraude na destinação de recursos públicos’.

No processo, foi determinada a intimação de empresa que realizou pesquisa eleitoral para a campanha da candidata. Considerando a juntada do documento, o juiz Ariovaldo Nantes Corrêa concedeu prazo de três dias para que a candidata se manifeste sobre o parecer da Procuradoria e sobre a pesquisa apresentada.

Os nomes da candidata e da empresa responsável pela pesquisa foram mantidos em sigilo pelo TRE-MS. A reportagem do Jornal Midiamax tentou entrar em contato com o diretório regional do PTC em MS, mas não obteve retorno até a publicação desta matéria. Permanece aberto o espaço caso a legenda queira se manifestar sobre a prestação de contas da candidata.

Mais notícias