Publicidade

‘Farra de diárias’ e enriquecimento ilícito de vereadores na mira do MPE-MS

Câmara terá que ressarcir cofres públicos

Pagamentos irregulares de diárias e enriquecimento ilícito por parte dos vereadores da Câmara Municipal de Bonito fizeram com que o Ministério Público do Estado de Mato Grosso do Sul ingressasse com uma Ação Civil Pública, pedindo ressarcimento.

O promotor de Justiça João Meneghini Girelli informou ao Jornal Midiamax que os valores a serem devolvidos ainda não foram apurados. A justiça agora aguarda documentos da Câmara de Bonito.

De acordo com os autos, a Promotoria de Justiça recebeu denúncia que afirmava haver uma “farra de diárias” na Câmara Municipal da cidade, em decorrência dos deslocamentos dos parlamentares para participarem de congressos na Capital.

As farras acontecem há cinco anos. De acordo com as informações, ao vereadores recebiam um valor total para diária, com tudo incluso, como hospedagem e alimentação. Todavia, muitas vezes, eles viajavam e voltavam no mesmo dia, não usando o valor total da diária.

Nesses casos, os vereadores chegavam a ficar com os valores que ‘sobravam’ dessas diárias, enriquecendo ilicitamente.

O promotor entende que, ao não prever a diária em valores fracionados nas situações em que há o deslocamento, porém não há a hospedagem/pernoite, até a própria lei fere princípios da administração pública, tais como a moralidade e a eficiência.

 

Mais notícias