Ex-presidente de Câmara do interior e sobrinho são denunciados pelo MPMS

Ex-vereador foi cassado em junho após investigação de crimes de extorsão e estelionato

O ex-presidente da Câmara Municipal de Brasilândia, Paulo Sérgio de Abreu (PEN), e seu sobrinho, Elielyton Abreu Martins Cordeiro, foram denunciados pelo MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul) em desdobramento da operação Hacker de Papel, realizada em março pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado).

Paulo Sérgio e Cordeiro são acusados de praticar crimes de extorsão e de calúnia e difamação na cidade, que fica na costa leste de Mato Grosso do Sul, perto da divisa com o Estado de São Paulo, no rio Paraná.

Conforme a apuração da promotoria, cinco vereadores foram convidados por Paulo em 2017 para uma reunião em seu gabinete, exigindo dos colegas, sob ameaças, o repasse mensal de R$ 180 para pagar uma pessoa que impediria a publicação de difamações contra os referidos vereadores, em uma página no Facebook chamada Bras Ney.

Nas investigações, foi descoberto que o autor da página e das publicações era Cordeiro, sobrinho do então presidente da Casa de Leis de Brasilândia. Durante a operação, foram cumpridos três mandados de busca e apreensão e duas medidas cautelares, diante das evidência de extorsão e estelionato.

Cassação em junho

Em 10 de junho de 2019, após votação na Câmara Municipal, Paulo Sérgio de Abreu teve seu mandato cassado por quebra do decoro parlamentar. Eleito pela primeira vez em 2012, o vereador estava em seu segundo mandato consecutivo em Brasilândia.

Mais notícias