Contrato de R$ 2,9 milhões com gestora de cartões é alvo do MPMS no interior

Avaliado inicialmente em R$ 1,45 milhões, o acordo sofreu aditivo por mais um ano e dobrou

A Promotoria de Justiça de Cassilândia, cidade localizada a 430 km da Capital, abriu procedimento para apurar possíveis irregularidades no contrato entre a prefeitura local e a empresa gestora dos cartões usados para abastecer a frota municipal de veículos.

A abertura da investigação, ainda em caráter preparatório, foi publicada na edição desta sexta-feira (9) do Diário Oficial do MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul). Apesar de constar como público o processo, é necessário senha para acessá-lo.

O contrato foi firmando em 2017 por R$ 1.477.977, de acordo com o Diário Oficial de Cassilândia em 26 de setembro de 2018, e foi renovado por mais um ano, pelo mesmo valor, valendo entre 23 de maio de 2018 a mesma data do ano seguinte. A quantia chegou a casa dos R$ 2,9 milhões.

A empresa com a qual a prefeitura firmou o contrato fica na cidade de Buri, interior de São Paulo, e é a responsável pela intermediação e pelo gerenciamento por meio de cartão magnético e sistema eletrônico para fornecimento de combustível.

Mais notícias