Ao custo de R$ 1,6 milhão, MPMS pede 22 cargos comissionados e deputados aprovam

Projeto altera número de comissionados no MPMS

Os deputados estaduais da ALMS (Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul) aprovaram por unanimidade nesta terça-feira (20) o Projeto de Lei 119/2019, de autoria do MPMS (Ministério Público Estadual) que autoriza a criação de mais 22 cargos em comissão no órgão, gerando um aumento de despesa de mais de R$ 1,6 milhão ao ano.

De acordo com o projeto que altera o anexo VI da Lei 4134, de 6 de dezembro de 2011, os servidores serão integrados ao CI (Centro de Pesquisa, Análise, Difusão e Segurança da Informação) e da ESMP (Escola Superior do Ministério Público).

Do total, são dois cargos de chefe de departamento, com salários de R$ 11.235,16; um chefe de divisão, com salário de R$ 8.342,11; quatro assessores com salários de R$ 9.240,25 e 15 assessores com salários de R$ 6.977,56.

Os assessores deverão ser contratados para atuarem junto aos novos promotores substitutos aprovados no último concurso do órgão. Agora, a proposta volta ao Plenário para deliberação dos parlamentares em 2ª discussão.

Mais notícias