Notícias de Mato Grosso do Sul e Campo Grande

Após denúncias, Midiamax tem acesso aos termos da concessão de ônibus

Jornal tem noticiado problemas da frota

O Jornal Midiamax teve acesso, nesta quinta-feira (22), ao edital da licitação que culminou na contratação do Consórcio Guaicurus, em 2012, para explorar o transporte público de Campo Grande. O acesso aos documentos que somam quase 10 mil páginas foi liberado pela Agereg (Agência Municipal de Regulação dos Serviços Públicos) após denúncias noticiadas pelo jornal de problemas envolvendo a frota do consórcio.

O contrato da concessão havia sido disponibilizado para a reportagem e posteriormente no site da prefeitura nesta quarta-feira (21). No entanto, os termos de cedência que detalham todas as obrigações e direitos do consórcio foram prometidos para serem entregues hoje.

A reportagem retirou nesta tarde, na sede da Agereg, arquivos digitalizados que somam 6,6 GB. São 9.772 mil páginas divididas em 23 volumes. Tanto o processo regulatório da concessão quanto o processo final que teve o Consórcio Guaicurus como vencedor foram acessados.

Antes de ter acesso ao edital, o Midiamax listou os pontos do contrato de 25 páginas. Na cláusula de direitos e obrigações dos concessionários (Consórcio Guaicurus) há pelo menos dois itens, que são alvo de reclamações frequentes dos usuários: o atendimento e a falta de informações dos funcionários e as operações de férias, que pegam os passageiros desprevenidos com a redução da frota nas ruas.

Nos últimos dias, descumprimentos de contrato por parte do Consórcio vem sendo noticiados pelo jornal. Entre eles existência de 26 ônibus “vencidos” circulando na cidade e outros 70 que também terão data da fabricação excedida até o fim do ano.

Desde o início da apuração das reportagens, o Midiamax tenta respostas do Consórcio Guaicurus, que até agora se limita a dizer, por meio da assessoria de imprensa, que não irá se pronunciará sobre as denúncias.

Você pode gostar também