Operação contra corrupção e lavagem de dinheiro cumpre mandados em MS e SP

Agentes cumprem mandados em 3 cidades

O Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) deflagrou nesta segunda-feira (18) a 2ª fase da Operação Bolsão, denominada Padrinho, que investiga crimes de corrupção e lavagem de dinheiro.

De acordo com a assessoria do MPE-MS (Ministério Público Estadual), os agentes do Gaeco cumprem mandados nas cidades sul-mato-grossenses de Paranaíba e Aparecida do Taboado, na região do Bolsão, e no município paulista de Ribeirão Preto.

Além de lavagem de dinheiro e corrupção, os promotores apuram a suposta prática dos crimes organização criminosa e concussão, que é o delito praticado funcionário público, em que este exige, para si ou para outrem, vantagem indevida, direta ou indiretamente, ainda que fora da função ou antes de assumi-la, mas em razão dela.

1ª fase

Na primeira fase da Operação, deflagrada em fevereiro deste ano, dois auditores fiscais da Sefaz- MS (Secretaria de Estado de Fazenda) integravam a relação de investigados no suposto esquema de cobrança de propina para liberação de benefícios ou ‘alívio’ no pagamento de multas e impostos.

Na ocasião, o Gaeco cumpriu mandados de buscas em residências, escritórios de contabilidade e Agências Fazendárias do Estado de MS, incluindo a sede da Secretaria de Estado de Receita e Controle da cidade Paranaíba. Ao todo foram 16 mandatos, dos quais quatro de prisão temporária e seis de condução coercitiva, entre eles dois auditores fiscais. 

(colaborou Evelin Cáceres)

Mais notícias