Estado prorroga contrato milionário da SED com a Digitho Brasil

Empresa foi alvo de investigação da Lama Asfáltica e do MPE

O governo estadual, por meio da SED (Secretaria de Estado de Educação), prorrogou por mais um ano o contrato que mantém com a Digitho Brasil, atual Digix, uma das empresas investigadas no âmbito da Operação Lama Asfáltica, que investiga suposto esquema de corrupção em obras e contratos públicos em Mato Grosso do Sul.

O Diário Oficial do Estado desta quarta-feira (21) revela que este é o segundo termo aditivo do contrato entre as partes, validando-o agora até o dia 31 de maio de 2018. Constam como representantes a secretária de educação, Maria Cecilia Amendola da Motta e a empresária Suely Aparecida Carrilhos de Almôas.

Assinado inicialmente em junho de 2016, o valor inicial do contrato era de R$ 13,7 milhões, e previa a prestação de ‘serviços técnicos de informática’, com pagamento mensal à empresa de pouco mais de R$ 1,1 milhão

No final do mês de maio de 2017, mesmo com surgimento de novas fases e denúncias da última fase da Operação Lama Asfáltica, Máquinas de Lama, o Estado aumentou o valor do repasse mensal para mais de R$ 1,4 milhão, o que ultrapassa R$ 17 milhões no montante do contrato.

Até esta quarta-feira a Digitho já recebeu do governo estadual R$ 35 milhões dos R$ 48 milhões que tem empenhado para todo o ano de 2017.

Além de figurar como doadora de campanhas do ex-governador André Puccinelli (PMDB), a empresa também integrou uma ação do MPE-MS (Ministério Público Estadual) por improbidade administrativa que tem o peemedebista e ex-assessores como alvos. 

Mais notícias