Ação do Gaeco investiga suposta lavagem de R$ 3 milhões e peculato

Pelo menos oito locais são alvos dos agentes

O Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) deflagrou, na manhã desta quinta-feira (16), uma nova operação contra suposta prática dos crimes contra o patrimônio público, lavagem de dinheiro e associação criminosa em Campo Grande.

De acordo com a assessoria do MPE-MS (Ministério Público Estadual de Mato Grosso do Sul), os agentes cumprem mandados de busca e apreensão em oito endereços da Capital, sendo três agências de publicidade e propaganda. Os locais seriam suspeitos de repassarem dinheiro a empresas ‘laranja’, que funcionariam nos mesmos endereços, porém sem funcionários. 

A Operação foi chama de ‘Propaganda Enganosa’. A movimentação bancária suspeita foi constatada inicialmente pelo COAF (Conselho de Controle de Atividades Financeiras) e, via quebra de sigilo bancário, requerida pelo GAECO e autorizada judicialmente, constatou-se o montante do total repassado, cerca de 3 milhões, dos quais boa parte foi sacada na boca do caixa pelos investigados, ora sócios das empresas de fachada, segundo o MPE. 

O Jornal Midiamax esteve em um dos locais e presenciou os agentes em uma viatura descaracterizada. O promotor de justiça Thales Franklin Souza, que acompanha a ação, disse apenas que a operação é sigilosa. 

Matéria editada às 13h07 para acréscimo de informações. 

Mais notícias