MPE arquiva inquérito de pagamento excessivo a secretário de Bernal

Pagamento de jetons seriam feitos sem comprovação

O inquérito civil aberto no início do ano passado para apurar supostas irregularidades em pagamentos extras ao secretário de Administração na gestão do prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal, Ricardo Ballock, será arquivado em 10 dias, caso, dentro deste prazo, não sejam apresentadas razões escritas, peças informativas ou documentos a serem juntados aos autos, conforme publicação no Diário Oficial do MPE (Ministério Público Estadual). 

A apuração é oriunda da primeira fase em que Ballock foi titular da pasta, antes da cassação de Bernal. Hoje, com o retorno do radialista ao Paço, ele também voltou ao comando da Semad. O inquérito é de fevereiro de 2015 e à época a denúncia foi feita pela PGM (Procuradoria Geral do Municipal).

O secretário estaria recebendo em excesso o pagamento de Jetons (dinheiro extra por conta de reuniões, sessões extraordinárias, atividades paralelas). Segundo publicação do MPE na ocasião o intuito era “apurar supostas irregularidades quanto ao excesso de pagamento de “jetons” ao ex-secretário Ricardo Trefzger Ballock, os quais foram pré- fixados mensalmente por ele, inclusive, sendo pagos sem a comprovação das atividades ou folha de frequência”.

“O ex-secretário autorizou a fixação de jetons mensais pré-fixados, pagos sem a comprovação de atividades e autorizados mesmo sem folha de frequência, diferente do que havia sido acordado na gestão municipal, que são jetons justificados”, dizia relatório assinado por Fábio Castro Leandro, procurador-geral do Município durante a administração de Gilmar Olarte (PP).

O secretário apresentou justificativa alegando, por escrito, que os pagamentos eram feitos devido aos cargos que ocupava, incluindo conselhos e grupos de trabalho, sendo que uns eram administrados em folhas de presença outros pelas próprias atividades realizadas.

MPE arquiva inquérito de pagamento excessivo a secretário de Bernal
Mais notícias