Empresa de ex-sócio de Baird incorpora Itel e herda R$ 28 milhões em contratos

Estratégia tirou Itel e colocou Mil Tec em contrato com governo

A empresa Mil Tec Tecnologia da Informação Ltda, de propriedade do ex-sócio de João Baird na Itel Informática, Ricardo Fernandes de Araújo, conseguiu R$ 28,6 milhões em contratos com o governo do Estado desde fevereiro deste ano, segundo consta em Diários Oficiais. No último dia 5 de fevereiro, a companhia publicou comunicação de incorporação integral à sociedade com a Itel, uma das investigadas pela Operação Lama Asfáltica, justamente por denúncia de improbidade administrativa em contratações com o poder público.

Araújo possui 91,6% da Mil Tec desde fevereiro de 2004 e Rosimeire Aparecida de Lima aparece como sócia com 8,3% desde o segundo mês deste ano. No dia 18 de janeiro, segundo a publicação, houve incorporação com registro disponível na Jucems (Junta Comercial de Mato Grosso do Sul).

No próximo dia 5 vence o prazo para questionamentos sobre a fusão, já que “até noventa dias após publicados os atos relativos à incorporação, fusão ou cisão, o credor anterior, por ela prejudicado, poderá promover judicialmente a anulação deles”.

Mesmo antes da publicação no Diário Oficial do Estado a Mil Tec conseguiu garantir contratação com o governo. O extrato de autorização de despesa e emissão de nota de empenho pelo ordenador de despesa referente ao primeiro mês de 2016, publicado em 26 de fevereiro, mostra que quatro empenhos foram feitos com a empresa, todos no dia 29 de janeiro somando R$ 1,1 milhão. Neste a própria Itel aparece com R$ 4,7 milhões, porém R$ 2,6 milhões anulados.

No dia 23 de março o extrato de fevereiro trouxe outras quatro contratações, desta vez com total de 2,089 milhões, sendo que foram anulados R$ 13 mil do montante. No Diário Oficial da última terça-feira (12) a lista de autorização de despesas e empenho trouxe outros nove contratos firmados nos dias 3, 4 e 8 de março. Juntos eles resultam em R$ 12,7 milhões, sendo que R$ 22 mil foram anulados.

Os serviços de informática são os mesmo que até o ano passado eram executados pela Itel que não conseguiu renovar contrato com o governo a pedido do MPE (Ministério Público Estadual) devido às investigações da Lama Asfáltica. Tanto Baird quanto a antiga empresa são alvo de ação por improbidade administrativa ingressada pela força-tarefa da operação.

Nas publicações os serviços milionários são explicados de forma resumida como “atender despesas com contratação de serviços de alocação de horas técnicas para desenvolvimento, manutenção, evolução e suporte técnico de sistemas de informática. Ou “atender despesas com alocação de horas técnicas para desenvolvimento, manutenção, evolução e suporte de sistemas fazendários, correspondente ao SPED e nota fiscal eletrônica”.

Equipe do Jornal Midiamax esteve na sede da Mil Tec, fundada em 1996 com capital de giro no valor de R$ 6,7 milhões. Na fachada não consta o nome da companhia. A secretária do local informou que tratam-se de empresas diferentes e garantiu que João Baird não é proprietário. As últimas atualizações no controle societário e administrativo foram feitas em 21 de março de 2016. No endereço de Rosimeire funciona uma quadra de esportes, e segundo vizinhos o espaço é alugado para jogos.

Mais notícias