Publicidade

Primeira audiência com depoimento especial acontece em Angélica

Depoimento de criança foi gravado como prova antecipada

A juíza Bruna Tafarelo presidiu a primeira audiência com depoimento especial no município de Angélica, interior do estado, na última terça-feira (14) . Durante a audiência foi gravado o depoimento de uma criança de 12 anos que, supostamente, sofreu abuso sexual pelo padrasto. O pedido veio do delegado Valter Guelssi e do promotor de justiça Anthony Álisson Brandão.

O caso está em fase de investigação e processo criminal ainda não foi aberto. O depoimento foi realizado como antecipação de prova, buscando evitar que a criança precise reviver o trauma posteriormente, caso o processo demore a ser protocolado.

Toda a entrevista foi conduzida pela servidora Célia Idie Wolfring, da Coordenadoria da Infância e Juventude (CIJ) do TJMS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul) que ficou a sós com a criança enquanto a juíza Bruna Tafarelo, o promotor Anthony Brandão, a defensora pública Ester Quintanilha Nogueira e os demais presentes, assistiam o depoimento de uma outra sala. Tudo para garantir conforto e segurança para a criança.

Outro depoimento especial

Na comarca de Rio Negro já houve a primeira audiência para depoimento especial, e foi presidida pela mesma juíza, Bruna Tafarelo.

Para a juíza, esse tipo de depoimento protege a criança emocionalmente e não permite que ela seja exposta. Por isso, cria-se uma relação de confiança com o entrevistador capacitado para o ato, para que haja tranquilidade e segurança na descrição dos fatos pela criança.

 

 

Mais notícias