CNJ pede explicações a Moro sobre decisão de levantar sigilo da delação de Palocci

Juiz recebeu prazo de 15 dias para se justificar

O ministro Humberto Martins, corregedor do CNJ (Conselho Nacional de Justiça), determinou nesta quinta-feira (04) que o juiz Sérgio Moro esclareça a decisão de levantar o sigilo da delação do ex-ministro Antônio Palocci. O Conselho deu ao juiz o prazo de 15 dias para que explique o ato.

A delação do ex-ministro possui graves acusações ao PT (Partido dos Trabalhadores) e ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Por faltarem poucos dias para as eleições presidenciais, deputados do partido formalizaram reclamação disciplinar sobre a decisão do juiz por afirmem ser uma “tentativa de tumultuar o processo eleitoral”.

Os parlamentares responsáveis pela representação apresentada ao CNJ foram os deputados do PT, Paulo Pimental, Wadih Damous, ambos do Rio Grande do Sul e Paulo Teixeira, de São Paulo, que pediram liminarmente o afastamento de Moro como punião ao ato “ilícito”.

Passado o prazo de 15 dias, as informações de Moro serão analisadas pelo ministro Humberto Martins, que decidirá sobre o pedido de afastamento do juiz.

Mais notícias