[BASTIDORES] Plágio x vício de iniciativa

Plágio? I

O deputado João Henrique Catan (PL) reclamou que os projetos apresentados por ele na Alems ( Legislativa de Mato Grosso do Sul) estão sendo arquivados na (Comissão de Constituição, Justiça e Redação), porém, o governo tem decretado propostas iguais as dele, mas sem dar os créditos. Segundo Catan, isso já teria acontecido duas vezes.

Plágio? II

Uma, no ano passado, quando o projeto de lei dele e do deputado LDO (PSL), VOE foi arquivado. Mas logo o governo decretou projeto de lei chamado Decole MS. “O governo não deu crédito para nós”. O jovem parlamentar falou que em 17 de março, propôs projeto para isentar empresas que fabricam EPIs. “Mas foi arquivado e agora, eu vejo que foi decretado pelo governo, reduzindo parcialmente os tributos. Isso deveria ser creditado a nossa pessoa”.

De olho

Mas o deputado disse estar atento. “Eu pedi a isenção do ICMS de medicamentos como a cloroquina. Já aviso antes para quando for implementado, ser creditado”.

Defesa

Defendendo o Executivo, Paulo Corrêa (PSDB) falou que o governo tem direito para fazer o decreto, mas disse que estava à disposição do colega. “Não acredito que isso tenha sido intencional, mas se foi, temos que corrigir porque autoria é algo sério e valorizamos e o precedente também”.

Quem foi líder…

Nunca deixa a liderança? Barbosinha também saiu em defesa do governo. “As propostas podem não ter sido aprovadas por ter de iniciativa. Mas acho importante ao governo, ao apresentar o projeto, nominar de quem foi a iniciativa do projeto”.

Assassino

Depois de um caloroso debate entre Coronel David (sem partido) e Pedro Kemp (PT) na última quinta-feira (25), o bolsonarista pediu para que fosse retirada da ata da Alems a expressão ‘assassino’. Kemp usou a palavra se referindo ao presidente da República Jair Bolsonaro (sem partido) por ele não se manifestar sobre as mais de 60 mil mortes por coronavírus ocorridas no país.

[BASTIDORES] Plágio x vício de iniciativa
Mais notícias