[ BASTIDORES ] Novo momento, novo púlpito

Ficou para trás

A tensão das 2018 são águas passadas para Odilon de Oliveira. O ex-candidato a governador avalia com tranquilidade a postura do naquele ano –que, segundo ele, “com certa razão” não lhe daria suporte no depois de ele declarar abertamente apoio ao presidenciável Jair Bolsonaro.

Lógica partidária

Bolsonaro enfrentou o petista Fernando Haddad, “inimigo natural” da direita em 2018 e para quem o , no qual Odilon disputou a eleição, rendeu apoio no .

Não se opôs

“Na época o não se opôs [ao apoio a Bolsonaro], mas logicamente não me daria apoio comigo apoiando o candidato de ideologia diferente da do partido”, sintetizou.

Ético

Quase dois anos depois da eleição de Jair Bolsonaro, Odilon afirma que o Governo Federal vem atendendo a suas expectativas, “principalmente na parte ética” dentro da administração.

Sem escândalos

Segundo ele, não há escândalos na área de probidade administrativa –como denúncias ou megaoperações. “Isso é um grande ganho, por isso estou satisfeito”.

No púlpito

Odilon afirma que as dificuldades que preocupam o Governo Bolsonaro são mais externas, decorrentes da economia e da pandemia.

Postura

Sobre denúncias que vão desde o “Caso Queiroz” aos filhos do presidente, o juiz aposentado considera que não mancham a gestão federal. “Tem de considerar a postura como presidente desde que tomou posse”, afirma.

[ BASTIDORES ] Novo momento, novo púlpito
Mais notícias