[ BASTIDORES ] Paz e afago

Paz

Vereadores que trocaram ‘gentilezas’ na sessão da última quinta-feira fizeram as pazes nesta terça. Desculpas Coube a quem pegou mais pesado usar o microfone do plenário para se desculpar. Vinícius Siqueira (DEM) reconheceu que passou dos limites.

Afago

Carlão (PSB) aceitou numa boa e também trocou afagos com o colega de Casa. Por enquanto, está tudo certo.

Confiante

O MDB definiu que terá candidato à Prefeitura de Campo Grande e teve vereador que afirmou que Marquinhos Trad “não está com essa bola toda” e pode perder o cargo de prefeito.

Nem pensar

Valdir Gomes disse que Alcides Bernal o chamou para conversar após o registro do boletim de ocorrência. O presidente regional do Progressistas acabou ficando sem resposta.

Perfil do PDT…

O deputado federal Dagoberto Nogueira afirmou que o PDT irá lançar nome próprio para a prefeitura de Campo Grande, mas segundo ele, a principal preocupação do partido hoje é encontrar pessoas que defendam as mesmas bandeiras da sigla.

Identidade

Segundo ele, os candidatos da legenda devem ter “identidade com o partido”. “Não adianta o PDT ficar elegendo vereador e deputado que depois não tem compromisso partidário, que quando chega na Câmara ou na Assembleia se rende a prefeito ou a governador e não defende o que o partido pensa. Então nós vamos trabalhar com pessoas que tenham algum idealismo, pessoas que de fato vão lá defender as nossas bandeiras que são da educação e do trabalhismo”.

…acordo…

A alfineta serviu também para o candidato ao governo pelo partido no ano passado, juiz Odilon de Oliveira e ao seu filho, o vereador Odilon Júnior. Para o deputado, o juiz teria feito um acordo com o prefeito da Capital para não disputar a prefeitura da Capital. “Que tipo de acordo ele fez não sei, porque para ele ter indicado o Herbert de secretário foi feito algum acordo”.

…candidato natural

Dagoberto disse que ainda não conversou com o juiz sobre sua saída e de seu filho da legenda, mas que ele seria o “candidato natural do PDT” para a prefeitura. “Até porque ele disputou o governo do Estado, mas ele fez uma escolha de não disputar e fazer um acordo, aí é uma coisa pessoal dele e não estou aqui fazendo crítica, mas o PDT não concorda com isso”.

Moro no STF

Durante audiência pública sobre a reforma da Previdência, na ALMS (Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul), o ex-ministro da Previdência Social de governo do PT declarou que o ministro da Justiça, Sérgio Moro, “deve estar querendo entrar em um buraco de tanta vergonha”.

Declaração analisada

A fala foi em relação a declaração do presidente Jair Bolsonaro (PSL) de que havia prometido que a primeira vaga para o STF (Supremo Tribunal Federal) seria de Moro. “Ele não achou que o cara ia falar uma coisa desses”. O ministro também afirmou que o ex-presidente estava certo ao dizer que Moro não dormia. “Ele sabe o mal que fez para a sociedade brasileira”.

Mais notícias