BASTIDORES: Kit miséria, cutucada e muita enrolação

Confira os bastidores do cenário político em MS

Cadê meu dinheiro?

Candidatos de partido fazem verdadeira romaria para denunciar suposto favorecimento da executiva nacional em encaminhar recursos de fundo especial apenas para um candidato.

Privilégios

Os candidatos afirmam que apenas um candidato, que é presidente estadual da agremiação, recebeu quase R$ 400 mil da legenda nacional, que recusou repassar recursos para outros candidatos.

Nacional

Segundo o TSE, a responsabilidade por ratear recursos do fundo público para campanha político é da direção nacional do partido. Reclamações com relação ao rateio devem ser feitas diretamente à executiva.

Kit miséria

Para os candidatos que receberam pouco dinheiro para a campanha, os baixos valores foram batizados de “kit miséria”.

Cutucada

Durante debate de presidenciáveis, Marina Silva cutucou o candidato Henrique Meirelles. “Quando tem briga, ninguém Chama o Meirelles, não. Chamam uma mãe, uma avó, uma mulher para resolver”.

Enrolação

Processo importante envolvendo setor político está parado há três anos em gabinete. Falta de pressa interessa a quem?

Sem dinheiro

Folha em atraso levanta suspeitas de inchaço em administração municipal. Líder, entretanto, nega até mesmo excesso de comissionados.

Sobrou

Na toada do atraso, sobrou para o estagiário: contrato com todos precisou chegar ao fim para que mais servidores não sofressem sem pagamento.

Biometria

Maioria dos ministros do Supremo Tribunal Federal decidiu manter o cancelamento de títulos cujos eleitores deixaram de fazer biometria em todo país.

Impacto

Em Mato Grosso do Sul, mais de 61,5 mil eleitores serão impactados e não poderão decidir os rumos do país e do Estado nas eleições de outubro.

Mais notícias