BASTIDORES: Gafe e samba no pé

Empoderados

Com os policiais municipais utilizando arma de fogo, o vereador Delegado Wellington (PSDB) afirmou que estes profissionais agora estão “empoderados de responsabilidade”. Em seu discurso, o parlamentar lembrou quando levou um tiro em confronto com assaltantes e ficou entre a vida e a morte.

Cansados

O prefeito Marquinhos Trad (PSD) disse que há duas formas de se conseguir algo. Uma delas é através de discursos, o que segundo ele já “ultrapassou o limite da paciência da população”. A outra é através de ações, que mesmo assim podem acabar sendo consideradas demagógicas.

Preocupado

Marquinhos voltou a declarar que uma das suas preocupações, quando toma uma decisão, é não ser incomodado no futuro. “Não quero ter oficial de justiça atrás de mim [após deixa a Prefeitura]”, disparou.

Direitos

Em prisão domiciliar, duas figuronas do Estado fizeram questão de reclamar na Justiça e terão direito a votar nessas eleições. Qual será o escolhido?

Gafe

Com partido dividido, parlamentar acabou citando aliado como líder da bancada e não o verdadeiramente eleito. Ao perceber a gafe, corrigiu a tempo.

Acusações

Como já esperado, concorrentes no 2° turno não perderam outra oportunidade de trocar farpas ‘ao vivo’ e faltou espaço para tanta alfinetada.

Caiu nas graças

Ao fim da ‘festa’, teve deputado eleito que caiu nas graças da torcida adversária e caiu no samba. Motivo para comemorar é o que não deve faltar.

Delicado

Diferente dele, outro político levou um banho de água fria na reta final da campanha e deve ter muita dor de cabeça até o próximo domingo.

Pegou mal

‘Conservador’, candidato de São Paulo se viu no centro de vazamento de suposto vídeo íntimo fora dos moldes da família tradicional brasileira.

‘Não era eu’

O gestor, como faz questão de se intitular, negou a ‘participação’ na ‘cerimônia’ e ainda disse que tem dedo do adversário na suposta montagem, arquitetada para prejudicar sua candidatura.

Mais notícias