BASTIDORES: Estratégia falhou

Falha

Estratégia de candidato ao Governo parece não estar dando muito certo. Com menos tempo de propaganda que os demais concorrentes, ele bolou uma maneira de divulgar sua candidatura no espaço destinado aos proporcionais.

Adversário ligado

Acontece que um dos adversários, logo no início da campanha, sacou a manobra e já apresentou inúmeras representações na Justiça Eleitoral.

Não ganha uma

A Justiça, atenta, também manjou a tática e fez com que o candidato espertinho perdesse preciosos segundos de seu já escasso tempo de aparição.

Excluído

Outro candidato não gostou muito de não ter sido convidado a participar de entrevista em uma emissora de televisão.

Liberdade de comunicação

O argumento foi derrubado pela Justiça Eleitoral, baseado nos princípios da liberdade de expressão e jornalística, consideradas ‘irmãs siamesas’ da democracia.

Carona

Também tem muito candidato ‘pegando carona’ na popularidade de Jair Bolsonaro, mesmo que o seu partido já tenha um candidato à presidência.

Apelativo

A atitude, todavia, não está sendo vista com bons olhos por aí. Para muitos, a estratégia não passa de mero oportunismo para ganhar alguns votinhos.

Investigação

Candidato do mesmo partido do presidenciável, inclusive, até apresentou denúncia formal no TRE-MS por se sentir prejudicado com a veiculação de adesivo de Bolsonaro junto ao nome de urna e número de um adversário.

Pai da criança I

Durante operação que mais uma vez estremeceu as bases de policiais envolvidos com máfia de cigarreiros, duas corporações federais ‘centraram fogo’ mesmo foi em reclamar sobre a cobertura da imprensa.

Pai da criança II

Tudo porque jornalistas usaram, conforme repassado por uma corporação, que a operação era coordenado por X, depois, corporação Y disse que quem coordenava, na verdade, era ela. Vai entender.

Mais notícias