Política

Vereador afirma que coronavírus já matou 4 PMs e infectou outros 645

Coronel Alírio Vilassanti cobrou inclusão de profissionais de Segurança Pública entre grupos prioritários de vacinação contra a Covid-19

Danúbia Burema Publicado em 09/03/2021, às 10h28 - Atualizado às 10h31

Vereador Coronel Alírio Vilassanti | Foto: Isaías Medeiros/CMCG
Vereador Coronel Alírio Vilassanti | Foto: Isaías Medeiros/CMCG - Vereador Coronel Alírio Vilassanti | Foto: Isaías Medeiros/CMCG

O vereador Coronel Alírio Vilassanti (PSL) pediu prioridade para profissionais de Segurança Pública na vacinação contra o coronavírus (Covid-19). Segundo ele, entre os policiais militares já houve 645 casos de contágio e 4 mortes.

O pedido foi feito nesta terça-feira (9), em sessão da Câmara Municipal de Campo Grande. Vilassanti afirmou que os trabalhadores do setor “têm tido papel importante” na pandemia. Isso porque se mantêm na ativa mesmo sob o risco de contaminação.

De acordo com Vilassanti, “a exposição e o risco de contágio é iminente, real e presente sistematicamente”. Para ele, os trabalhadores da Segurança “têm sido severamente afetados”.

O vereador também defendeu que, com o contágio desses trabalhadores, a população sofre sem um policiamento apropriado. “A consequência [da exposição à Covid-19] tem sido contaminação e afastamento”, destacou.

Ainda segundo ele, “os afastamentos em decorrência das contaminações têm afetado sobremaneira a capacidade da Corporação”. Segundo Vilassanti, o número de licenças de casos suspeitos e daqueles que necessitam isolamento têm aumentado.

Coronavírus já matou 4 PMs e infectou 645

O Coronel apontou que houve 645 casos de contaminação e 4 mortes por coronavírus na PM. Mesmo assim, “o serviço de Segurança Pública tem sido prestado de forma ininterrupta desde o início da pandemia”.

“Eles estão coibindo aglomerações, ajudando a distribuir vacina e atuaram nas eleições”.

Vilassanti pontuou que “é notório que a adoção de medidas sanitárias de biossegurança não foram suficientes para impedir a propagação [do coronavírus] entre os profissionais de Segurança Pública.”

O vereador sustentou a necessidade de incluir os agentes do setor “dentro do Plano Nacional com a tão necessária prioridade”.

Jornal Midiamax